A evolução de The Sims

Lançado em fevereiro de 2000 pela Electronic Arts, “The Sims” é uma cria de “SimCity”, jogo que permite administrar uma cidade 

O conceito é parecido mas, em vez de coisas, os gamers de "The Sims" controlam pessoas

O game põe os jogadores para criar avatares, construir um lugar para eles morarem e basicamente dizer o que eles devem fazer

É possível, entre outras coisas, fazer com que o personagem case, tenha filhos, morra, vire um criminoso e seja abduzido 

Desde as primeiras versões, ‘The Sims’ dá um senso de liberdade muito grande aos jogadores

Vicente Martin, professor da ESPM e pesquisador de games

Ao longo dessas duas décadas, foram criados diversos pacotes de expansão para incrementar a jogabilidade do game

Com as expansões, os usuários podem experimentar novos itens, cenários, ferramentas e interações

Há, por exemplo, expansões sobre criaturas sobrenaturais, ilhas paradisíacas, cinema, romances, pets, universidades e até tricô

Tantas possibilidades de jogo fez com que "The Sims" dialogasse com diferentes públicos

Nesse esforço de agradar ao maior número de pessoas, “The Sims” foi pioneiro entre os games na ala da diversidade

Algumas particularidades são independentes do sexo biológico, como tom de voz, tipo de corpo, se usará roupas femininas ou masculinas, se poderá engravidar 

Tudo isso aliado à falta de tabus ou convenções sobre com quem o avatar se relaciona amorosa e sexualmente —isso desde 2000

O que a EA faz com ‘The Sims’ é entender o momento em que a gente vive

Vicente Martin

"The Last of Us" é uma outra franquia de games muito aclamada pela diversidade de personagens. Saiba mais:

Veja aqui

TEXTOS

Leonardo Sanchez

IMAGENS

Divulgação/EA, YouTube/The Sims, Giphy, Reprodução 

PRODUÇÃO DE WEB STORIES

Ana Luísa Moraes

Veja outros Web Stories