São Paulo, quinta-feira, 30 de dezembro de 2004

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

PAINEL DO LEITOR

PT
"Parabenizo a Folha pela publicação do artigo em que Xico Graziano nos brinda com uma privilegiada visão sobre o universo do PT e suas históricas contradições ("O tigre e o gato manso", "Tendências/Debates", 28/12). Penso que tais fatos passem diariamente despercebidos por uma sociedade tolerante, cuja maioria dos componentes não tem a mais vaga idéia do que são o oportunismo político e o cinismo praticados pelo partido, que tem na popularidade do presidente a sua peça principal para o objetivo maior -que é o poder. Elias Fadel Júnior (Avaré, SP)
 

"A oposição negativista ao governo Lula, representada por políticos e por parte da mídia, deve estar muito preocupada com as últimas notícias: a manchete da Folha de 26/12 mostrou que a aprovação ao governo Lula subiu dez pontos em quatro meses, chegando a 45% após dois anos de governo, e a página B1 (Dinheiro) de 27/12 mostrou que "79% prevêem vida melhor no ano que vem". Essa última pesquisa mostra que 52% dos entrevistados consideram que sua vida pessoal melhorou e que 40% dos eleitores de José Serra na última eleição presidencial também pensam assim. Isso não é significativo? Peço aos oposicionistas que não fiquem magoados nem ressentidos, afinal somos todos brasileiros e certamente queremos o melhor para o nosso país." Benjamin Eurico Malucelli (São Paulo, SP)

História
"Na primeira edição do meu livro "Combate nas Trevas" (Ática, 1987), escrevi, à pág. 187, que Celso Lungaretti forneceu ao Exército a primeira informação sobre um campo de treinamento de guerrilheiros da VPR em Jacupiranga, no vale do Ribeira. A mesma afirmação consta da segunda impressão da sexta edição do livro (Ática, 2004), às páginas 210 e 211, sendo de notar que o capítulo 26, no qual ela se insere, não sofreu nenhuma alteração entre a primeira e a última edição no decurso de 18 anos. Não obstante, no mês corrente, Celso Lungaretti contatou-me, por via telefônica, para chamar a minha atenção para o fato de que dera a aludida informação sob tortura e sabendo que o campo de treinamento onde estivera se encontrava desativado havia dois meses. O relatório do comandante do 2 Exército na época, general José Canavarro Pereira, co-assinado pelo general Ernani Ayrosa da Silva, sobre a Operação Registro (localidade do vale do Ribeira), confirma que, efetivamente, aquele campo de treinamento fora desativado. Sucede, no entanto, que, quase simultaneamente, chegaram ao 2 Exército informações procedentes do 1 Exército, com sede no Rio de Janeiro, de que um novo campo de treinamento de guerrilheiros, adjacente ao anterior, se encontrava em atividade. Sob o comando de Carlos Lamarca (então ex-capitão do Exército), um grupamento com cerca de 20 participantes realizava o treinamento de ações de guerrilha naquele local. As autoridades militares implementaram, então, uma operação de cerco, forçando Lamarca e seus companheiros a abandonar a área e a se dirigirem para a capital de São Paulo, aonde o grupamento chegou com três quartos dos participantes iniciais após vários incidentes narrados no meu livro acima citado. A respeito dessa segunda área, nenhuma responsabilidade cabe a Celso Lungaretti, que ignorava a sua existência. Sua vinculação com o episódio restringiu-se, por conseguinte, à informação sobre a área que sabia desativada, fornecida, segundo afirma, sob tortura irresistível." Jacob Gorender, jornalista e historiador (São Paulo, SP)

Tragédias
"Voltaire não deixava de ter razão em suas considerações poéticas sobre o desastre de Lisboa ("Terra em transe", Opinião, 28/12). A atual tragédia asiática não deixa de ser digna das mesmas considerações de Voltaire. Qual será a medida para que um Deus tido como benevolente perca as estribeiras? Essa, para mim, é uma grande preocupação. Dizem que Deus é brasileiro, mas até onde irá a sua santa tolerância para com o povo que habita esta terra? E as descaradas mentiras, as imoralidades e os crimes contra o povo praticados impunemente pelos seus cínicos governantes?" Roberto Antonio Cêra (Piracicaba, SP)

Anúncio
"Gostaria de deixar registrado o meu repúdio à publicação do anúncio da CVC que mostra jovens sorridentes, divertindo-se em uma praia e comemorando a chegada de 2005 -uma coincidência de mau gosto (Mundo, págs. A8 e A9, 29/12). O anúncio é até condizente com a chegada do Ano Novo. O meu espanto advém do fato de ele ter sido publicado nas páginas que relatam a tragédia ocorrida na Ásia, ao lado de foto que mostra dezenas de corpos de tailandeses espalhados no chão. Sou leitora e admiradora da Folha há anos, mas tratar a tragédia de forma tão efêmera foi falta de sensibilidade e de bom senso do jornal." Claudia Pugliesi, jornalista (São Paulo, SP)

Nota da Redação - A publicação do anúncio nas páginas que tratavam do maremoto na Ásia foi um infeliz acaso. A área editorial e a comercial do jornal são totalmente independentes.

Teatro
"Irresponsável, superficial e leviana a análise do diretor Antunes Filho sobre o Programa Municipal de Fomento ao Teatro (Ilustrada, pág. E1, 29/12). Encastelado em seu reduto, o CPT, ele demonstra não só seu desconhecimento da atual produção teatral paulistana como também uma soberba desprezível e incompatível com sua experiência e importância. Uma das maiores qualidades dos autênticos "mestres" não é profissional, mas humana: a humildade." Domingos Montagner, ator, palhaço e artista circense (Embu das Artes, SP)

BC
"Parabenizo Vinicius Mota pelas suas considerações na coluna de ontem ("Que tal burocratizar o BC?", Opinião). Concordo inteiramente com sua interpretação dos problemas ligados à escolha dos dirigentes do BC. Além de argumentar de forma correta quanto aos princípios, o colunista faz isso de maneira equilibrada, sensata e educada, diferentemente do que fazem vários outros colunistas desta Folha quando tratam de assuntos de Estado ou, principalmente, de governo." José Maria Souza (São Paulo, SP)

Boas festas
A Folha agradece e retribui os votos de boas-festas recebidos de Cecília e Abram Szajman, presidente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (São Paulo, SP), Celso Pitta, ex-prefeito de São Paulo (São Paulo, SP), Vincenzo Scarpellini, Instituto Europeo di Design (São Paulo, SP), Sonia Marques, gerente de Comunicação, e Juliana De Mari, Positivo (Curitiba, PR), J. Murillo Valle Mendes e Lucia Andrade Mendes (Belo Horizonte, MG), Alexandre Imanishi, By Side Comunicação (São Paulo, SP), Ibope (São Paulo, SP), Lobini Automóveis Ltda. (Cotia, SP), Maria Alice Maluf, Majmaluf Assessoria de Comunicação (São Paulo, SP), Antonio Mazzafera, diretor de marketing do The Savoy Group (Londres, Inglaterra), Jane Terra e Bruno Loyola, SeaWorld Adventure Park (Rio de Janeiro, RJ).

Texto Anterior: Sebastião A. P. Sampaio: A cloracne e o aspecto de Yushchenko

Próximo Texto: Erramos
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.