São Paulo, quinta-feira, 29 de abril de 2004

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

TRABALHO

PM e organizadores estimam que 1 milhão de pessoas estarão nos locais; consultoria estima que serão 400 mil

Festa do 1 de Maio revela guerra de números

CLAUDIA ROLLI
FÁTIMA FERNANDES
DA REPORTAGEM LOCAL

Antes mesmo de as festas do 1 de Maio organizadas pela CUT e pela Força Sindical começarem, já há uma polêmica sobre o número de pessoas que as duas centrais vão atrair para os seus eventos.
Há divergências nas estimativas e até no número de pessoas que a avenida Paulista e a praça Campo de Bagatelle comportam. Esses locais foram escolhidos pelas duas centrais sindicais para comemorar o Dia do Trabalho.
Esses números, certamente, serão usados pelas duas centrais para medir representatividade e poder no movimento sindical.
CUT e Força Sindical estimam que poderão reunir cerca de 1 milhão de pessoas em seus eventos. O 9 Batalhão de Polícia Militar prevê que a praça Campo de Bagatelle, onde será a festa da Força, tem capacidade para agrupar 500 mil pessoas. O 7 Batalhão de Polícia Militar informa que a avenida Paulista, onde a CUT fará sua comemoração neste sábado, tem capacidade para 1 milhão.
A Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio) calcula que os dois locais tenham capacidade menor: podem reunir até 400 mil pessoas.
Para chegar a esse número, a empresa considerou os 36 mil metros quadrados da praça Campo de Bagatelle, mais 19 mil dos arredores e uma área ocupada por pessoas que se espalha além desses 55 mil metros quadrados.
Na avenida Paulista, a consultoria considera que o evento vai ocupar uma área de 91 mil metros quadrados -da rua Bela Cintra à avenida Brigadeiro Luís Antônio. Nesse caso, o evento da CUT poderia receber 400 mil pessoas.
Nas duas estimativas, a Embraesp considera quatro pessoas por metro quadrado. "Os dois eventos têm capacidade para reunir quase o mesmo número de pessoas", diz Paulo de Melo Menezes, diretor da Embraesp.

Cálculos
A Mills Engenharia, empresa responsável pela montagem do palco e da infra-estrutura da festa da CUT, calcula que, no trecho entre a Bela Cintra e a Brigadeiro Luís Antônio, a área seja de 100 mil metros quadrados. "São dois quilômetros de extensão por 50 metros de largura, com base em dados da subprefeitura da Sé", afirma o engenheiro Márcio Cavalcante, responsável pela montagem do palco na Paulista.
A Polícia Militar estima que sejam dez pessoas por metro quadrado -cálculo usado em shows de rock, que costumam reunir grande quantidade de pessoas.
O recorde de público na avenida Paulista ocorreu no Réveillon deste ano, quando a PM estimou em 1,9 milhão o número de pessoas que participaram do evento.
A Fun Prime, que organiza o evento da CUT, informa que os shows do 1 de Maio costumam reunir de 10 a 14 pessoas por metro quadrado nos primeiros 500 metros do palco; entre 500 metros e 1.000 metros, de 6 a 8 pessoas; e a partir de 1.000 metros, de 4 a 6 pessoas por metro quadrado.
"Estamos preparados para receber mais de 1,4 milhão de pessoas. Se lotar o trecho entre a Bela Cintra e a Brigadeiro Luís Antônio, interditaremos um trecho de 25 mil metros quadrados da Brigadeiro. Dois telões móveis estão preparados para serem ligados no local", diz André Guimarães, sócio-diretor da Fun Prime.
O sargento Sebastião Ferreira Silva Neto, do 9 Batalhão, diz que 1 milhão de pessoas pode até passar pelos locais, mas que não estará lá o tempo todo.


Texto Anterior: Derrota retira trunfo dos ricos, afirma Amorim
Próximo Texto: Panorâmica - Previdência: Governo quer mudar cobrança adicional
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.