São Paulo, quarta-feira, 02 de março de 2005

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

PAINEL DO LEITOR

Guerras
"Como se não bastasse a nossa "guerra" aqui em São Paulo contra as drogas, o banditismo, o trânsito, os políticos, as enchentes e os impostos, vem o senhor Mauro Fadul Kurban ("Painel do Leitor", 1/3) querer provocar mais uma guerra aqui no Brasil. E uma das piores delas, a religiosa, a que mais mata no mundo. Apesar de tudo o que temos aqui, o Brasil, nesse ponto, é de uma paz invejável."
Raul Proost R. Júnior (São Paulo, SP)

Repentistas
"Severino discorda de Lula na demarcação de terras" (Brasil, pág. A9, 1/3). Precisamos de muita paciência para agüentar o discurso dos repentistas Lula e Severino. As obsessivas gafes verbais desses senhores parecem estar tornando-se um idiotismo bem-aceito pela sociedade brasileira. Todos os dias os leitores aguardam com ansiedade pela última parvoíce dita pelos magníloquos oradores, que, na infância, não tiveram condições econômicas de freqüentar a escola. Para o bem deles e do povo brasileiro, depois que a política começou a lhes dar boas condições econômicas, os dois poderiam ter expandido o seu universo conceitual contratando os serviços de um professor de lógica para evitar que os brasileiros fiquem ouvindo diariamente esse show de absurdos. A democracia e os ouvidos dos brasileiros agradecem."
Wilson Gordon Parker (Nova Friburgo, RJ)

São Paulo
"É lamentável, como cidadão paulistano, ver as manobras do prefeito José Serra para destruir o que o governo Marta custou tanto para construir. Greve de lotações, terminais onde não se pode mais fazer baldeações com a mesma tarifa (obrigando a população a comprar o Bilhete Único), aumento de tarifa de ônibus, migração de políticos distantes (geográfica e politicamente) para ocupar cargos importantes em São Paulo, centralização, burocratismo, destruição dos CEUs. Que tristeza!"
Rogerio Chaves (São Paulo, SP)

 

"Se cidades ricas como Londres e Paris subsidiam o transporte público, por que São Paulo não pode fazer o mesmo? Com esse aumento, Serra joga tudo para a conta dos mais pobres. Afirmar que os dados da administração anterior estavam errados não convence ninguém, pois, nos debates, Serra demonstrou estar a par da difícil situação financeira do município -e, mesmo assim, manteve a promessa de não aumentar as tarifas em 2005. E, como perguntar não ofende, pergunto: quando as obras do Fura-Fila serão retomadas? Durante a campanha, Serra cansou de dizer que "o pior tipo de obra é obra parada"."
Fabio Silva Santos (São Paulo, SP)

Câmara
"Como bem disse a leitora Sonia Aparecida Teixeira da Silva nesta seção no domingo, esse aumento de 67% nos salários dos deputados e senadores é monstruoso e descabido. Quero acrescentar que é ultrajante e causa asco a nós, brasileiros que não fazemos parte da casta de políticos. E agora o senhor Lula propõe um reajuste de 0,1% nos salários e nas aposentadorias dos servidores públicos, o que é mais uma vergonha nacional. Servidores públicos ficaram oito anos sem aumento por conta do plano econômico do senhor FHC e, no ano passado, após dissídio, foi dado 1% de aumento como esmola. Só tenho a dizer que, nesta atual conjuntura, sinto imensa vergonha de ser brasileiro."
Eugênio Leopoldo de Barros (São Paulo, SP)

Maluf
"A Folha publicou, em junho de 2001, texto com falsas acusações, no qual se afirmava que Paulo Maluf teria depósito em conta bancária na ilha de Jersey no valor de US$ 200 milhões. Na edição de 28/2, no texto "Governo quer reaver dinheiro de Maluf" (Brasil, pág. A5), sobre o mesmo assunto, a expressão "teria" foi abandonada e substituída pela afirmação de que Maluf "tem" dinheiro naquela ilha. Desde a publicação da primeira reportagem sobre esse assunto, há quatro anos, nenhuma prova foi mostrada sobre a existência de conta do ex-prefeito Paulo Maluf na ilha de Jersey. Mesmo assim, Paulo Maluf, periodicamente, é submetido à publicação de reportagens políticas sobre esse depósito que não existe. Essas reportagens têm a intenção clara de prejudicá-lo e vêm de autoridades que insistem em dizer que vão buscar aquilo que não existe. Até quando isso vai continuar? Por que Maluf, que é reconhecido pelo Datafolha como o melhor prefeito de São Paulo, continua sendo perseguido?"
Adilson Laranjeira, assessor de imprensa de Paulo Maluf (São Paulo, SP)

Guinchos
"O Sindicato das Empresas e Proprietários de Serviços de Reboque, Resgate, Guincho e Remoção de Veículos do Estado de São Paulo (Segresp) solicita providências para que seja esclarecida a reportagem "Trecho da BR-116 é terra de ninguém" (Cotidiano, 26/ 12/2004), de José Maschio, sobre o envolvimento de guincheiros em esquema de saque de cargas, corrupção, abuso, extorsão e derramamento de óleo na BR-116. A reportagem surpreendeu este sindicato, já que não há notícias de que isso ocorra ou tenha ocorrido no Estado de São Paulo. Ressaltamos que uma reportagem como essa, veiculada em um jornal como a Folha, denigre a imagem de toda uma categoria profissional e econômica. Quando um meio de comunicação veicula um suposto envolvimento de profissionais em supostos atos ilícitos que atentam contra a segurança e a vida de pessoas, omitindo todos os atos benéficos que esses profissionais desenvolvem no exercício de suas atividades, esse meio de comunicação está prejulgando uma categoria e condenando-a à execração pública. Ressalte-se que, no local do acidente que envolveu o apresentador Ratinho e lamentavelmente vitimou seu amigo e motorista, João Barião, fato que deu origem a toda essa celeuma que aí está, há uma base de guincho, ali estabelecida há muitos anos com a finalidade de prestar serviços aos usuários da rodovia, que, por seu péssimo estado de conservação, faz com que muitos acidentes aconteçam diariamente sem a necessidade de qualquer tipo de sabotagem. Após a veiculação dessas reportagens difamatórias contra a categoria guincheira, este sindicato tem feito várias incursões na região da BR-116 com o intuito de investigar o assunto e está exigindo rigor nas apurações dos fatos. Solicitamos até mesmo a nossa participação como assistente de acusação da promotoria em inquérito criminal. Sendo comprovado qualquer ato criminoso, exigiremos punição exemplar dos responsáveis."
Robson Alves, presidente do Segresp (São Paulo, SP)

Folha, 84
"Parabenizo a Folha pelos 84 anos de credibilidade, confiabilidade e jornalismo da melhor qualidade. Como paulista, orgulho-me de um jornal que nasceu em nosso Estado e se voltou para o mundo."
João Carlos de Souza Meirelles, secretário estadual da Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Estado de São Paulo (São Paulo, SP)

leitor@uol.com.br


Texto Anterior: Marco Vinicio Petrelluzzi: A Febem no caminho certo

Próximo Texto: Erramos
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.