São José dos Campos, Quarta, 28 de outubro de 1998

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

PATRIMÔNIO
Pinturas valem cerca de R$ 350 mil
Obras de Santos podem estar sendo negociadas

da Reportagem Local

O comércio de arte de São Paulo pode estar negociando obras furtadas como se fossem legais. A suspeita é do Instituto Histórico e Geográfico de Santos, que foi vítima de ladrões de peças de arte.
O instituto perdeu dez quadros, fotografias impressas em vidro e uma coleção de moedas, todos do século passado. As pinturas -cinco telas de Benedito Calixto, quatro de A. Fernandez e um retrato de D. Pedro 2- são avaliadas emR$ 350 mil, segundo o instituto.
As obras foram furtadas em 1996 da sede do instituto, mas o desaparecimento só foi registrado na polícia neste ano. "É comum que telas furtadas voltem ao mercado depois de um tempo", diz Adelson Portella Fernandes, presidente.
O presidente do instituto à época em que aconteceu o furto, Felício Agostinho da Purificação Souza, não comentou o assunto.


As obras furtadas foram: "Barra do Porto", "Praia do Imbaré", "Praia do José Menino" e "Trabalhos em Peruíbe", de Benedito Calixto, e todos os quatro quadros de A. Fernandez.



Texto Anterior | Próximo Texto | Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Agência Folha.