São Paulo, domingo, 06 de maio de 2007

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

JUCA KFOURI

Hoje é o dia do Santos


Se no Mineirão é certo e no Maracanã mais que provável, também no Morumbi, hoje, a festa deverá ser alvinegra


O SÃO CAETANO é o favorito para ficar com o título paulista de 2007. E mais favorito ainda porque não se mete a balão, sabe de suas limitações e não se acha melhor que o adversário, razão pela qual jogará com os cuidados de sempre e apostará na eficácia de suas últimas apresentações. E terá o essencial Canindé de volta.
Além do mais, pegará um Santos cansado e sem Antônio Carlos, ausência mais psicológica do que técnica, e Denis, este sem reserva especialista na lateral direita.
Graças, aliás, ao fato de o Santos permitir que seu técnico aja como se fosse o presidente do clube, a ponto de se dar ao luxo de dispensar atletas (como o lateral Pedro) por não gostar do empresário do jogador. O gosto de Vanderlei Luxemburgo por empresários de atletas, por sinal, não o recomenda, basta ver sua admitida relação com Chico Ferreira, que confessou ter mandado matar, em Belém, dois agiotas para os quais devia R$ 4 milhões. Gente finíssima.
Mas o clima é tão favorável para o Azulão que, se eu fosse santista, não deixaria por nada desse mundo de ir ao Morumbi hoje à tarde.
Mordido, com desfalques, menos acreditado do que há uma semana, o Santos tem tudo para virar o jogo e ganhar seu 17 título estadual.
Claro que previsões foram feitas para serem desmentidas, tanto em economia quanto em futebol.
Mas, insisto, eu não economizaria o dinheiro do ingresso porque a situação é tão desfavorável ao Santos que algo me diz que sua torcida viverá uma tarde de intensa felicidade.

Dia do Botafogo
No Rio, tudo está contra o Flamengo, mas, por incoerente que pareça, o momento parece ser mesmo do Botafogo, melhor e em paz.

Dia do Galo
Como deverá ser também em preto e branco a festa no Mineirão.
A vantagem do Atlético é tão grande que este colunista promete mudar de nome, para Tostão, maior craque da história do Cruzeiro, caso o time ganhe de 4.
Mudança de nome que viria a calhar para este que vos escreve, mas não para o brilhante vizinho de coluna, que, felizmente, está de volta hoje, para não deixar o leitor apenas em má companhia.

Dia da mentira?
A Fifa se reunirá, no dia 27 deste mês, para bater ou não o martelo sobre o já festejado título mundial do Palmeiras. E se disser não?
Joseph Blatter disse que ficou surpreso com a comemoração antecipada do alviverde. O presidente da Fifa diz que uma coisa é aceitar a legitimidade do pedido, outra é o reconhecimento da reivindicação.
Ocorre que não foi isso que a direção do clube e o governador de São Paulo, José Serra, ouviram de Ricardo Teixeira.
Provavelmente para encantar o coração verde do governador, o cartola se precipitou, como tem feito pelo país afora.
Tanto que já prometeu em Goiânia que a cidade será uma das sedes da Copa de 2014.
Como prometeu à governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, que Belém também será, segundo ela mesma anunciou na posse do presidente do BNDES.

blogdojuca@uol.com.br


Texto Anterior: Santos se diz calmo e quer evitar correria
Próximo Texto: Promessas desafiam "praga" do ABC
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.