São Paulo, quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Ex-soldado diz que se sentia de 2 categoria

DA REPORTAGEM LOCAL

Após trabalhar oito meses como PM temporário e se afastar da função por causa de um acidente de trânsito em fevereiro de 2005, Eric Pereira dos Santos, 21, diz que se sentia "um trabalhador de segunda categoria", por não receber os mesmos direitos de um PM efetivo.
Ele afirma ter executado funções administrativas no 17 BPM, de Mogi das Cruzes, redigindo e arquivando documentos. "Fazia o mesmo que os efetivos faziam. Só que o salário deles era R$ 1.200, mais benefícios, como 13."
"Sai após um acidente de moto. Perdi a perna direita, fiquei 40 dias na UTI. Não recebi um telefonema para saber se precisava de assistência. Tudo ocorreu dois dias antes de eu prestar prova para me efetivar nos Bombeiros".



Texto Anterior: Outro lado: Lembo diz que Estado se baseou em lei federal
Próximo Texto: Concurso de rádio é acusado de discriminar e é cancelado
Índice



Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.