São Paulo, segunda-feira, 14 de março de 2005

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

MÚSICA

Show do roqueiro integra o 2 Guitar Night, com participação de Victor Biglione, Andreas Kisser e Edgard Scandurra

Ex-Police, Andy Summers toca bossa em São Paulo

DANIEL BUARQUE
DA REDAÇÃO

Um enorme palco com dois banquinhos e dois violões de cordas de aço. Interpretando músicas da MPB e da bossa nova em versão instrumental, uma lenda do pop-rock mundial, o ex-guitarrista do grupo inglês The Police, Andy Summers, e Victor Biglione, um dos principais guitarristas do Brasil.
Essa é a segunda Guitar Night, que acontece amanhã no Via Funchal, em São Paulo. O guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser, e Edgard Scandurra, do Ira!, completam a apresentação inusitada fazendo uma jam session digna de comparação com o G3 -reunião de Joe Satriani, Steve Vai e Robert Fripp, que se apresentaram em São Paulo em 2004. "É uma comparação saudável, mas o nosso tem mais variedade. Mistura covers, MPB, bossa nova, rock. Os outros têm estilo mais homogêneo", disse Biglione.
O show vai ter a apresentação da parceria Summers-Biglione, que acaba de lançar o segundo CD juntos, "Splendid Brazil", com versões instrumentais de dois violões para "As Rosas Não Falam", de Cartola, "Casa Forte", de Edu Lobo, entre outras. O show intimista vai incluir músicas não gravadas, outras lançadas no primeiro CD, "Strings of Desire" (98), e até canções a pedido do público.
Em seguida acontece a jam dos quatro guitarristas; depois, Kisser, Scandurra e banda apresentam versões de clássicos do rock.
A parceria Summers-Biglione surgiu em 97. "Mandei um disco para o Andy, ele gostou e, no ano seguinte, lançamos o álbum", conta Biglione. "Decidimos fazer um segundo disco apenas com músicas brasileiras, o que seria incomum de se ouvir em arranjos de dois violões de aço. A idéia é fugir dos hits de Tom Jobim e João Gilberto", diz Summers.
O ex-Police teve seu primeiro contato com a música brasileira aos 16 anos. "Assisti ao filme "Orfeu Negro" (de Marcel Camus; 59), na Inglaterra. Ouvi a música e me apaixonei. Foi um momento importante para mim e desde então sempre estive em contato com a MPB e a bossa nova."
O guitarrista diz ficar entediado quando fazem muitas perguntas sobre o Police. "Isso é passado. Foi um grande sucesso, mas dei continuidade à minha carreira." Mas Kisser alimenta as esperanças dos fãs da banda inglesa ao dizer que nada estava certo quanto à jam dos quatro guitarristas. "Ainda não acertamos o repertório. Quem sabe pode rolar alguma versão do Police..."
Guitar Night


Onde: Via Funchal (r. Funchal, 65, SP; tel. 0/xx/11/3038-6698)
Quando: amanhã, às 21h30
Quanto: de R$ 30 a R$ 90


Texto Anterior: Reality-show: Patrulheiros vão além da decoração
Próximo Texto: Artes Plásticas: Exposição revela ações artísticas no Jardim Miriam
Índice


Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.