Publicidade
Publicidade
Publicidade

Veja código de conduta para sobreviver aos primeiros meses no emprego

No mercado de trabalho, a primeira impressão nem sempre é a que fica. Para os novatos ansiosos em mostrar serviço, saber disso pode ajudar a controlar as expectativas e os nervos.

"As empresas costumam ser complacentes com quem está começando, principalmente os jovens. Raramente alguém é excepcional na primeira semana. O desempenho se mostra no dia a dia", diz a psicóloga Myrt Cruz, professora da PUC-SP.

Bruno Santos/Folhapress
O advogado Matheus Campanhã, 26, no escritório em que trabalha, em São Paulo
O advogado Matheus Campanhã, 26, no escritório em que trabalha, em São Paulo

Ela e outros especialistas são unânimes em afirmar que para passar pelos primeiros dias de trabalho de forma tranquila é preciso anotar tudo: tarefas, sistemas utilizados e nomes de chefes, colegas e clientes.

A estratégia foi usada por Matheus Campanhã, 26, advogado sênior do escritório Schroeder & Valverde, contratado há menos de um mês. "Eu me sentia bobo, não sabia nem usar a impressora."

A mudança deixou o advogado inseguro, porque ele estava saindo de uma companhia grande e indo para uma empresa pequena, onde teria mais responsabilidades.

Para se acalmar, encarou a novidade com um desafio. No fim, foi mais simples do que ele pensava. "Meus colegas e chefes estavam me esperando. Aqui, as pessoas são mais próximas do que no meu emprego anterior", afirma.

Uma regra de ouro para os novatos, de acordo com Cruz, é ir com calma. Isso vale inclusive na hora de tirar dúvidas. É preciso bom senso do profissional para não importunar colegas e chefes ou invadir o espaço do outro.

"Tento estar sempre dentro das conversas da equipe. Uma parte do aprendizado é perguntar para os outros, mas a outra é observação", diz Natalia Cardoso, 27, recém-contratada como gerente de planejamento de uma agência de publicidade.

MOTIVAÇÃO

Para Fátima Motta, consultora de carreira e professora da ESPM, é fundamental ser humilde e mostrar boa vontade. "Cada vez mais precisamos de profissionais sem frescura, que façam o que precisa ser feito."

Érika Avelino, 21, foi bem recebida em seu novo trabalho (uma operadora de turismo, onde é assistente de produto), mas considera que sua motivação foi essencial para garantir um aprendizado rápido. "Não fiquei parada.

Tem que mostrar entusiasmo, porque quanto mais interessada você está, mais conteúdo vão te passar."

Ela teve uma experiência diferente em seu emprego anterior, também no setor de turismo. "Me deixaram em um canto até alguém ter paciência para vir falar comigo."

Quando isso acontece, a aproximação com a equipe precisa partir do próprio contratado. Segundo o coach Jorge Oliveira, a hora do café é um bom momento para começar a se relacionar com os colegas. A partir daí, o profissional pode se mostrar aberto para almoçar ou ir a um happy hour.

"Mas se eles almoçam juntos todos os dias e não te chamam, você tem que pensar no que está fazendo." Convidar os outros para ir almoçar já no primeiro dia não é uma boa ideia –só em empresas muito informais.
Outra recomendação é agir com naturalidade, para não ganhar fama de puxa-saco.

EXPERIÊNCIA

Profissionais mais velhos são contratados também pela bagagem que adquiriram em empregos anteriores, mas precisam tomar cuidado para não deixar suas experiências passadas contaminarem o novo trabalho.

De acordo com Cruz, eles não devem insistir em trabalhar da mesma forma, ainda que essa maneira tenha funcionado antes. É preciso respeitar a cultura e a identidade da empresa atual.

Gustavo Tadao, 43, é gerente de estatísticas de negócio da Sodexo desde o começo deste mês. Antes, passou mais de 11 anos em outra empresa. Entre um trabalho e outro, contou com a ajuda de uma agência de recolocação e contatou antigos colegas –estratégia que deu certo.

O novo trabalho mudou seu campo de atuação –ele deixou a área de TI para virar um analista de dados. "Meu desafio é trazer a experiência que tive lá atrás para fazer algo novo", afirma.

Karime Xavier/Folhapress
Gustavo Tadao, 43, na empresa em que trabalha, em Barueri
Gustavo Tadao, 43, na empresa em que trabalha, em Barueri

FESTA E CARTA

Empresas têm feito festas e até enviado cartas e presentes aos novos funcionários para motivar e ajudar na integração com o resto da equipe.

Poucos dias antes de começar no emprego novo, o cientista de computação Gustavo Tadao, 43, recebeu um envelope em sua casa com um kit de boas-vindas: mensagens para ele e sua família, explicação sobre a cultura da empresa, crachá, calendário e caderno. "Senti que eles estavam estavam realmente me esperando", conta.

Segundo a psicóloga Myrt Cruz, ações como essas já acontecem há algum tempo, mas ficaram mais comuns neste ano. "É uma sacada interessante das empresas, porque aproxima o funcionário o mais rapidamente possível da equipe de trabalho."

A assistente de produto Érika Avelino, 21, chegou com medo ao primeiro dia de trabalho, mas encontrou uma pequena festa montada em sua mesa. "Fizeram uma cartinha para mim e deixaram presentes", lembra.

A relações públicas Natalia Cardoso, 27, também encontrou uma recepção calorosa. Seu chefe a esperava, havia uma placa de "bem-vinda, Natalia" em sua mesa e foi marcado um almoço com os colegas para o seu primeiro dia.

"É uma forma de humanizar o ambiente de trabalho", diz o coach Jorge Oliveira. Mas, se o profissional é tímido, a recepção calorosa pode assustar. "A pessoa não se sente à vontade. O importante mesmo é ter uma abertura para acolher o recém-chegado e alguém que o ajude a decodificar a empresa."

Quanto mais depressa isso acontecer, melhor para o contratante. "O funcionário vai produzir mais rápido", afirma.

Avelino sentiu o efeito positivo da sua acolhida. Em apenas quatro dias de empresa, já era capaz de ajudar as outras funcionárias. "É uma troca."

*

PERÍODO DE EXPERIÊNCIA

Como se comportar no emprego novo

RECÉM-FORMADO

Seja humilde
Por mais que tenha estudado, você ainda não tem a experiência no mundo real. Aprenda como funcionam as relações de trabalho na empresa e respeite as hierarquias

Tenha interesse
Quanto mais você mostrar que quer aprender, mais irão lhe ensinar. Porém, busque equilíbrio no período de experiência e não tente fazer mais do que consegue

Não puxe o saco
Cuidado com a vontade de agradar os superiores. Se passar do ponto, pode ficar com má fama entre os colegas

EXPERIENTE

Foque no trabalho
Siga a regra dos relacionamentos amorosos: não fale do "ex" na frente do atual nem compare os dois empregos, a não ser que lhe perguntem

Seja dedicado
Não lamente se o novo trabalho for em uma posição inferior em relação ao antigo. A empresa não tem culpa e espera sua dedicação

Pergunte sem medo
Não tenha receio de questionar, mas também saiba observar. Ao sugerir mudanças baseadas na sua experiência anterior, tenha cuidado para não parecer que quer transformar uma empresa na outra

Publicidade
Publicidade
Publicidade
DFP -->