Publicidade
Publicidade
Publicidade

Análise: Boa escolha de MBA exige reflexão sobre o que falta a você

Até bem pouco tempo atrás, cursar um MBA era um dos caminhos mais certeiros para ascender na carreira. Os formandos frequentemente recebiam aumentos e promoções -ou, no mínimo, ganhavam atenção especial dos altos escalões das empresas.

Hoje, porém, a realidade não é mais essa. Grande parte da culpa recai sobre a crise econômica, que nos últimos anos derrubou o faturamento de muitas empresas e as obrigou a reduzir o número de funcionários. Isso fez com que pessoas competentes e qualificadas fossem demitidas ou então vissem a chance de ascensão na carreira ficar para depois.

No Brasil de hoje, ter experiência e boa formação acadêmica infelizmente não são suficientes para garantir um bom cargo.

Mas não foi apenas a crise que fez o MBA se tornar um instrumento menos eficaz para conquistar as melhores vagas. Em alguns casos, a escolha do curso é feita de forma equivocada.

Há vezes em que o jovem mal saiu da faculdade, nem conseguiu acumular experiência profissional e já decide fazer o MBA. Nessa situação, como esse tipo de curso funciona como um debate entre professores e alunos, o recém-formado não terá conhecimento prático suficiente para aproveitar as discussões e extrair lições valiosas daquelas aulas. Será um desperdício, uma precipitação.

Outro erro recorrente é avaliar mal a escolha da especialização. Para definir que tipo de MBA cursar convém refletir ao menos sobre três aspectos: qual é o tipo de conhecimento de que o mercado precisa, qual o tipo de conhecimento de que a sua empresa precisa e qual é o tipo de conhecimento de que você precisa.

Avaliar quais são as demandas atuais do mercado e buscar esse tipo de formação é uma forma pragmática de escolher o MBA. Ao analisar corretamente as tendências e selecionar o curso que preenche essa lacuna, você aumenta sua empregabilidade.

Do contrário, correrá o risco de estudar algum tema que está ultrapassado ou que um monte de gente já estudou.

Estudar quais são as demandas específicas da sua empresa também é algo importante. Sabe aquele assunto que seus chefes não dominam? Aquela questão em que a empresa sempre derrapa e precisa recorrer a conhecimentos externos?

Ao se tornar especialista nesse tema, você ganha importância e se torna mais necessário à empresa. Porém, se decidir fazer o mesmo MBA que seus chefes já fizeram ou escolher estudar algo menos estratégico para o negócio, seu diploma tenderá a ser pouco relevante.

Por fim, pense no tipo de conhecimento de que você precisa hoje –e não apenas no que precisará em cargos futuros. Você tem os conhecimentos necessários para executar as tarefas que executa hoje? Não há nenhuma deficiência na sua formação que está lhe impedindo de alcançar os resultados que almeja? Que tipo de MBA pode ajudá-lo a se tornar um profissional melhor hoje?

Um caminho para evitar a frustração e nunca desistir de estudar é procurar conhecer a fundo as empresas e entender como, exatamente, elas ganham dinheiro. Pode parecer algo simples, mas não é. Você sabe quais são as principais fontes de lucro das empresas que atuam no seu mercado? Sabe como elas conquistam clientes? Como entregam seus produtos? Como motivam seus funcionários?

Ao apurar essas informações, comece a pensar em como você pode contribuir para gerar valor nessa cadeia. E, com isso em mente, busque os cursos que trazem essas respostas. Tenho certeza de que, dessa forma, o MBA escolhido será novamente um caminho para ascensão profissional.

Publicidade
Publicidade
Publicidade