Publicidade
Publicidade
Publicidade

Iluminação natural ganha mais espaço em escritórios

A iluminação no ambiente de trabalho pode influenciar o sono e a saúde mental das pessoas, mostram estudos no Brasil e no exterior: quanto maior a exposição à luz natural, melhor para o corpo.

Com o bem-estar dos funcionários —e a conta de energia— em mente, empresas têm optado por usar luz solar na iluminação. É o caso do escritório do AirBnb em São Paulo, reformado em 2016.

Para a arquiteta responsável, Mila Strauss, a claridade do sol ajuda a melhorar o humor das pessoas. "Elas se sentem mais em casa. A luz natural traz uma conexão com o mundo de fora." A sustentabilidade, acrescenta, é outro ponto positivo.

Essas duas razões também motivaram a SulAmérica a utilizar a iluminação natural em seu escritório inaugurado em 2015 em São Paulo.

"Do ponto de vista ambiental, há uma associação direta com menor gasto de energia. O projeto do prédio foi pensado para colher esses benefícios. E, do lado do trabalho, como temos uma filosofia de bem-estar, a gente não poderia deixar de olhar para o ambiente dos escritórios", diz Tomás Carmona, superintendente de sustentabilidade da SulAmérica.

Segundo ele, pesquisas mostram que os funcionários estão satisfeitos com a mudança. Em toda a circunferência do prédio há sensores de luminosidade que regulam a necessidade de luz artificial -em áreas bem iluminadas, como a recepção, às vezes as lâmpadas não são acesas.

Esse projeto já foi colocado em prática pela Serasa Experian, cujo escritório em São Paulo tem, desde 2002, uma fachada toda em pele de vidro, que permite a entrada da luz solar no prédio.

Cada setor tem controle sobre sua iluminação: se for um dia ensolarado e não houver necessidade de lâmpadas, elas são apagadas pelos funcionários. Caso queiram, eles mesmos as acendem.

"A claridade natural ajuda o usuário a não se sentir só dentro de um caixote corporativo. A ideia é trazer um ambiente mais agradável, não só térmico e visual, mas sensitivo", diz Aline Navarrete, coordenadora de engenharia da Serasa Experian.

Além do conforto dos funcionários e da economia de energia, há por trás da decisão de investir em luz natural uma preocupação sustentável, de usar adequadamente os recursos esgotáveis.

"Essa luminosidade natural do sol também contribui contra a poluição luminosa, questão muito crítica nos grandes centros urbanos, que prejudica muito a vida no planeta", diz Andrea Regina, gerente de sustentabilidade corporativa, da Serasa Experian.

Publicidade
Publicidade
Publicidade