Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
23/12/2008 - 16h01

Sarkozy vê Brasil como potência militar para fins pacíficos

Publicidade

CIRILO JUNIOR
da Folha Online, no Rio de Janeiro

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse nesta terça-feira que o Brasil poderá se tornar uma potência militar com fins pacíficos, depois de assinar uma série de acordos, inclusive na área militar, com o governo brasileiro.

Sarkozy voltou a defender a entrada de Brasil, China e Índia na ampliação do G-8, e a presença permanente brasileira no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

"Queremos o Brasil na liderança mundial. Temos consciência de que o Brasil poderá ter status de potência militar, com atuação para a paz. O Brasil poderá ser um elemento de estabilidade para o mundo", afirmou Sarkozy.

O chefe de Estado francês classificou como incompreensível a ausência de países emergentes com relevância no cenário internacional no G-8. Sarkozy disse ainda que é fundamental que o Conselho de Segurança da ONU conte com a presença de um representante africano.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou que a parceria firmada com a França no campo militar, que permitirá a construção de cinco submarinos e 50 helicópteros em solo brasileiro, dará conhecimento tecnológico para que o país se torne uma "grande nação", dos pontos de vista militar, econômico e tecnológico.

"Um país que tenha a coragem e capacidade de dizer não quando for preciso dizer não. E um país que tem a Amazônia, que tem 8.000 quilômetros de costa marítima, um país que tem grandes quantidades de rios de água doce navegáveis, não pode prescindir de estar altamente preparado. É preciso que o Brasil assuma a grandeza que Deus lhe deu quando criou o mundo, e que nossos diplomatas nos deram quando fizeram a divisão do espaço geográfico", afirmou Lula.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página