Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/11/2004 - 19h10

Vereadores do PSDB estudam como adequar Orçamento a projetos de Serra

Publicidade

CAIO JUNQUEIRA
da Folha Online

Os vereadores da bancada do PSDB na Câmara estudam maneiras de adequar o Orçamento enviado à Casa pela prefeita Marta Suplicy (PT) às políticas públicas que o prefeito eleito José Serra (PSDB) pretende adotar no primeiro ano de governo.

Para o vereador William Woo (PSDB), que integra a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, a probabilidade mais viável é destinar os recursos de obras que Marta pretendia fazer, como os CEUs (Centro Educacional Unificado), para melhorias nas respectivas áreas.

"O Orçamento enviado pela prefeita Marta Suplicy [PT] prevê várias obras que não estão no plano de governo de Serra. A idéia é fazer uma readequação de verbas dentro de suas áreas específicas, deixando rubricas abertas para que possam ser destinados recursos na área dessas obras. Por exemplo, em vez de gastar na construção dos CEUs, recuperaremos escolas já existentes", disse.

Uma segunda alternativa, mencionada pelo vereador Ricardo Montoro (PSDB), é de Serra enviar, após assumir, a readequação do Orçamento enviado por Marta neste ano. Ele teria três meses para fazer isso após a posse e poderia remodelar o Orçamento de acordo com as suas prioridades de governo.

O próprio vereador William Woo, no entanto, desconsidera essa possibilidade, uma vez que espera que a atual Câmara estabeleça um consenso sobre o Orçamento de 2005 --que deve ser aprovado até o final deste ano-- em respeito ao resultado das eleições e às prioridades que o novo prefeito pretende estabelecer para cidade no primeiro ano de gestão.

A equipe de Serra já tem em mãos o Orçamento do ano que vem para analisá-lo e fazer as sugestões aos vereadores tucanos, que se reunirão com a futura equipe de transição de Serra para definir como e quais políticas públicas do próximo governo serão encaixadas no Orçamento. A data da reunião ainda não está definida.

Transição

Apesar da expectativa entre alguns vereadores tucanos de que a transição na Câmara seja tranqüila, o vereador eleito José Aníbal (PSDB) --o mais votado nas eleições-- disse ter se surpreendido com as declarações do presidente da Câmara Arselino Tatto, em entrevista à rádio CBN hoje pela manhã.

Tatto afirmou que "a população deu um recado para a gente" e que ela não quer mais a cobrança, pela prefeitura, das taxas do lixo e da luz. Em razão disso, afirmou que irá trabalhar para que elas sejam eliminadas do Orçamento para o ano que vem. Disse também que lutaria para reduzir a margem de remanejamento, hoje em 15%.

"Eu me surpreendi com uma afirmação do presidente da Câmara que eu acho absolutamente infantil. Nem imagino que ele esteja pensando nisso seriamente. Pára com isso. A população disse nas urnas o que quer: Serra prefeito", afirmou Aníbal.

O vereador eleito disse ainda que Marta tem papel fundamental nessa transição e que deve colaborar fornecendo informações e números da prefeitura. "Queremos começar trabalhando. Se chegar lá e tiver uma caixa preta, como é que você opera?"

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre José Serra
  • Leia o que já foi publicado sobre Marta Suplicy
  • Leia mais notícias no especial Eleições 2004
  • Acompanhe em tempo real a apuração em São Paulo
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página