Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/11/2004 - 19h21

Kassab diz que ataque do PT foi estratégia errada e derrota reflete desgaste

Publicidade

SILVIO NAVARRO
da Folha Online

Eleito vice-prefeito na chapa de José Serra (PSDB), o deputado federal Gilberto Kassab (PFL) afirmou hoje que as urnas responderam ao PT pelos ataques feitos contra ele durante a campanha do segundo turno.

Uma das armas da campanha de Marta Suplicy (PT), que tentava a reeleição, era lembrar a relação de Kassab com o governo de Celso Pitta (1997-2000), quando assumiu a Secretaria do Planejamento. Em seu programa eleitoral e durante debate na TV, Marta disse que "se algo acontecesse a Serra, a turma do Pitta voltaria a comandar a cidade".

"Foi uma estratégia que mostrou-se equivocada e a eleição provou que as críticas eram infundadas", disse.

Kassab disse hoje também que o revés do PT na capital paulista reflete desgaste. "O governo federal é do PT e São Paulo é a maior cidade do país. Portanto uma derrota em São Paulo mostra uma situação de desgaste do partido na maior cidade do país."

Pesquisa Datafolha divulgada no dia 25 de outubro apontou que 58% dos paulistanos sabiam o nome do vice de Serra. Por outro lado, Rui Falcão, o candidato a vice da petista, era conhecido por apenas 16%.

Inserções mostravam imagens do secretariado do ex-prefeito Celso Pitta e de Kassab ao lado de Serra, para dizer que o tucano "escondia" o vice. Pitta deixou a prefeitura com a menor aprovação da história desde que o Datafolha faz essa medição. Quando saiu, sua administração era considerada ruim ou péssima por 77%. Apenas 5% a viam como boa ou ótima.

2006

Kassab afirmou hoje que a vitória da chapa PSDB-PFL em São Paulo projeta a aliança entre os partidos para a disputa das eleições de 2006.

"A eleição consolida a posição daqueles que defendem que a aliança seja estendida para 2006. Nós já havíamos realizado [a aliança] em São Paulo [no governo estadual] e reeditamos com sucesso em nível municipal e que acontece em Brasília com os dois partidos, numa oposição responsável e consistente", disse.

O senador pefelista Romeu Tuma (SP) afirmou que a vitória de Serra abre caminho para o governador Geraldo Alckmin na disputa presidencial de 2006. "O PFL e o PSDB formará uma dupla partidária que abrirá o caminho para Geraldo Alckmin. Quem não quer o Geraldo Alckmin na Presidência?", disse.

Especial
  • Veja o perfil do futuro prefeito, José Serra
  • Veja galeria de imagens de José Serra
  • Leia mais notícias no especial Eleições 2004
  • Leia o que já foi publicado sobre José Serra
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página