Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
29/07/2005 - 09h03

Mais um deputado do PT recebeu dinheiro da SMPB

Publicidade

MARTA SALOMON
RUBENS VALENTE
da Folha de S.Paulo

A análise da movimentação bancária das empresas do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza apontou ontem mais um deputado federal que recebeu dinheiro diretamente da conta da SMPB no Banco Rural. O petista João Magno de Moura (MG) recebeu ao todo R$ 29 mil em duas transferências eletrônicas efetuadas em 18 de agosto e 19 de setembro do ano passado.

O nome de João Magno já aparecera em registro da agenda da ex-secretária do publicitário Fernanda Karina Somaggio. Ele teria ajudado Marcos Valério a conhecer o deputado José Mentor (PT-SP), relator da CPI do Banestado, cuja empresa também recebeu dinheiro do publicitário.

A CPI também detectou ontem um pagamento de R$ 351 mil da conta da SMPB no Banco Rural para a conta do diretório nacional do PT no dia 14 de julho de 2004.

A operação confirma um trecho do depoimento que Marcos Valério prestou à CPI. Segundo ele, trata-se de uma parcela do empréstimo feito pelo PT no banco BMG, na qual Valério entrou como avalista.

"Eu paguei, via uma antecipação que foi feita dentro da SMPB, uma transferência direto para a conta do partido, eletrônica, identificando e registrado dentro da contabilidade", disse Valério.

De acordo com os dados analisados pela CPI dos Correios, até agora são quatro os deputados já identificados como beneficiários diretos de saques e transferências das contas das agências de publicidade que movimentaram o caixa dois do PT.

O deputado Romeu Queiroz (PTB-MG) recebeu R$ 50 mil por meio de transferência eletrônica feita em 31 de agosto do ano passado. O dinheiro saiu da conta da SMPB no Banco Rural.

Josias Gomes (PT-BA), identificado anteriormente, sacou diretamente da agência do Banco Rural R$ 100 mil, usando sua própria carteira de parlamentar. O deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ) sacou R$ 150 mil.

O cruzamento de dados obtidos com a quebra do sigilo bancário das empresas do publicitário Marcos Valério avançou ontem e permitiu a identificação de um volume maior de saques e transferências eletrônicas em nome de personagens já conhecidos.

Solange Pereira Oliveira, funcionária do departamento financeiro do diretório nacional do PT, aparece como responsável por um segundo saque de R$ 100 mil. Foi feito na véspera do pagamento da quarta e última parcela do empréstimo de R$ 29 mil feito pelo PT ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os saques feitos pelo ex-tesoureiro do PL Jacinto Lamas cresceram R$ 300 mil, de acordo com o novo levantamento. Até agora, teriam saído da conta da SMPB no Banco Rural R$ 1,65 milhão.

O relatório dos saques da conta de outra empresa de Valério, a 2S Participações, apontou a saída total de R$ 3,62 milhões, que teriam beneficiado principalmente a corretora Bônus Banval (R$ 2,9 milhões), na qual trabalhou a filha do líder do PP na Câmara, José Janene. Um dos beneficiários é o secretário de Finanças do PT em Minas Gerais, Carlos Magno Ribeiro Costa (R$ 181 mil). A ex-secretária de Comunicação da Prefeitura de Contagem (MG), Sandra Rocha, hoje assessora do governo do Estado de Minas, recebeu cheque de R$ 55 mil.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a CPI dos Correios
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página