Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
28/12/2005 - 17h18

Harry Potter pode prevenir fraturas, dizem cientistas

Publicidade

da France Presse, em Paris

Harry Potter pode ainda ser incapaz de unir ossos quebrados com um passe de mágica, mas o recordista de vendas nas livrarias aparentemente tem o poder de reduzir fraturas, informaram cientistas britânicos em um estudo publicado nesta semana.

Trabalhando em um palpite, um grupo de cirurgiões especializados em traumatismos do Hospital John Radcliff, de Oxford, criaram um estudo estatístico que correlaciona a incidência de "lesões musculoesqueletais" em crianças entre 7 e 15 anos e o lançamento dos novos volumes da popular série escrita pela britânica J.K. Rowling.

Segundo o estudo, nos fins de semana em que foram lançados dois dos livros de aventuras do menino bruxo, "Harry Potter e a Ordem da Fênix" e "Harry Potter e o Enigma do Príncipe", as taxas de atendimento nas emergências relacionadas com as lesões descritas caíram pela metade em comparação com semanas "normais", com 36 e 37 crianças, respectivamente, necessitando atendimento contra uma média de 67.

"Os dois fins de semana ocorreram no meio do verão, com tempo bom. Por isso, cabe a hipótese", concluíram os médicos, em tom de brincadeira, "de que há espaço para a criação de um comitê de segurança, formado por escritores talentosos que produziriam livros de alta qualidade com o propósito de evitar lesões".

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Harry Potter
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página