Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/05/2003 - 12h05

Corpo de Waly Salomão será velado no Cemitério São João Batista

Publicidade

da Folha Online

O corpo do poeta e letrista da música popular brasileira, Waly Salomão, será velado a partir das 16h no Cemitério São João Batista, em Botafogo. Amanhã (6), será cremado no Cemitério do Caju, às 9h, na zona Norte da cidade.

Salomão morreu às 7h40 na Clínica São Vicente, na Gávea, zona Sul do Rio, onde estava internado havia duas semanas para tratamento de um câncer no fígado.

Baiano de Jequié, ele era o secretário Nacional do Livro do Ministério da Cultura, cargo para o qual foi nomeado pelo ministro Gilberto Gil, de quem era um dos principais assessores e grande amigo desde os tempos do movimento tropicalista, nos anos 1960.

Além de vários livros de poesia, Waly Salomão, descendente de sírios, foi parceiro de compositores como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jards Macalé, Lulu Santos, Roberto Frejat e Adriana Calcanhotto.

Muitas dessas parcerias, como "Mel"e "Talismã", com Caetano, e "Anjo Exterminado", com Macalé, foram sucesso na voz de Maria Bethânia. Com Macalé, ele também compôs "Vapor Barato", gravada por Gal Costa em 1972 e que voltou a fazer sucesso na década passada, como parte da trilha sonora do filme "Terra Estrangeira", de Walter Salles.

Leia mais
  • Waly Salomão foi peça-chave na Tropicália
  • Saiba mais sobre Waly Salomão

    Especial
  • Veja galeria de fotos de Waly Salomão
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página