Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/09/2006 - 17h46

Tiazinha e Feiticeira somem após "boom" da "Playboy"

Publicidade

SÉRGIO RIPARDO
Editor de Ilustrada da Folha Online

Personagens lançadas pelo apresentador Luciano Huck na sua época da Band, Tiazinha e Feiticeira desapareceram na velocidade de um passe de mágica.

Com sua máscara e chicote, Suzana Alves se tornou um símbolo sexual no final dos anos 90 no papel de uma sadomasoquista de cinta-liga rendada. A personagem depilava pernas masculinas com cera no palco do extinto programa "H" (Band).

Em março de 1999, a "Playboy" de Tiazinha vendeu mais de 1 milhão de exemplares, entrando para o ranking das edições campeãs. Em dezembro do mesmo ano, foi a vez do ensaio de nudez da Feiticeira (Joana Prado) repetir a façanha.

As duas voltaram a estampar capas de revistas masculinas. Ganharam dinheiro com publicidade. A Feiticeira popularizou um produto de ginástica passiva, um cinto para emagrecer, cujo bordão era "não é feitiçaria, é tecnologia".

Já Tiazinha e Feiticeira voltaram a atrair atenção ao participar da "Casa dos Artistas" (SBT), em 2002. No ar, Joana Prado reatou com o namorado e lutador Vitor Belford.

Neste ano, Suzana voltou à TV ao integrar o elenco da novela "Cidadão Brasileiro", da Record, mas a popularidade não é mais a mesma, na comparação com seu auge.

Por sua vez Joana Prado virou repórter de variedades no programa de Claudete Troiano, na Band, passou a morar em Belo Horizonte (MG) com atuação também na TV local.



Leia mais
  • Conheça os 10 artistas que estão em baixa no "mercado dos famosos"

    Especial
  • Enquete: Quem está na pior fase de sua carreira?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página