Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/04/2006 - 14h33

Crítica a Bush gera suspensão de produtor de TV nos EUA

Publicidade

da Efe, em Washington

Um produtor da rede de televisão americana ABC foi suspenso do emprego, sem receber salário, durante um mês por ter enviado vários e-mails criticando o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

John Green, produtor da edição de fim de semana do "Good Morning America", pediu perdão à Casa Branca, e vários diretores da rede de televisão fizeram o mesmo com a ex-secretária de Estado Madeleine Albright, também alvo das críticas de Green.

Nos e-mails, escritos durante o primeiro debate entre Bush e John Kerry para as eleições presidenciais de 2004, mas divulgados neste domingo por alguns meios de comunicação americanos, Green escreve para um colega: "Está vendo? Bush me deixa doente. Como usa de novo a frase 'mensagens mistas', vou vomitar".

Além disso, em outro e-mail, Green escreve que Albright não devia ser convidada para o "Good Morning America" por ter origem judaica.

"Ela nos odeia de todas as formas, porque dissemos que prometíamos cinco minutos e só a demos dois (...), não gosto", escreve Green em um dos e-mails.

Um porta-voz do Grupo Albright, empresa fundada por Madeleine Albright, disse que responsável pela política externa americana com Bill Clinton (1993-2001) "sempre teve e tem" uma "excelente" relação com o programa e a rede e, de fato, no próximo dia 2 de maio aparecerá nele por ocasião da publicação de seu próximo livro.

Jeffrey Schneider, porta-voz da ABC, disse que "ninguém está tão envergonhado como o próprio Green pela divulgação destas mensagens e pelo dano que sua publicação causou a seus colegas e aos protagonistas. John é o primeiro a afirmar que isto foi uma lição, e pede perdão".

"Todos nós que trabalhamos nos serviços noticiários da ABC não estamos felizes com que aconteceu, porque nos afeta, mas não acho que os e-mails digam algo sobre o programa emitido por Green, que é justo e equilibrado."

O próprio Green disse, em e-mails destinados a seus colegas de trabalho, que "lamenta a vergonha que causou à rede. Disse algo inadequado e peço perdão".

Green trabalha na edição de fim de semana do "Good Morning America" desde 2004, mas está ligado à companhia há 12 anos.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre George W. Bush
  • Leia o que já foi publicado sobre Madeleine Albright
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página