Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
 
 

Lista de textos do jornal de hoje Navegue por editoria

Cotidiano

  • Tamanho da Letra  
  • Comunicar Erros  
  • Imprimir  

Sem reagir, universitário é morto após entregar celular

Estudante de rádio e TV foi baleado na cabeça em frente ao prédio onde morava

Mãe do jovem ouviu o disparo do seu apartamento; para a família, ladrão matou por 'pura maldade'

DE SÃO PAULO DO "AGORA"

Vítima de um assalto, um universitário de 19 anos entregou seu celular, não reagiu, mas foi baleado na cabeça na frente do prédio em que morava no Belém, bairro de classe média da zona leste de São Paulo, anteontem à noite.

Este foi, pelo menos, o sexto caso de latrocínio (roubo seguido de morte) na cidade nos primeiros dias de abril.

Victor Hugo Deppman foi abordado por um ladrão na rua Herval por volta das 21h. Ele costumava chegar em casa depois das 23h. Em semana de provas na Faculdade Cásper Líbero, saiu mais cedo do trabalho para estudar.

Deppman estudava no curso de rádio e TV e era estagiário na emissora RedeTV!.

As imagens da câmera de segurança do edifício registraram o momento em que o homem armado tenta tomar o celular da mão da vítima.

O estudante não reage, mas troca o telefone da mão direita para a esquerda antes de o entregar. O criminoso pega o aparelho e, em seguida, atira na cabeça do jovem.

A mãe de Deppman, Marisa, disse ter ouvido o tiro de dentro do seu apartamento.

"Ele [o bandido] rendeu meu sobrinho, que ergueu as duas mãos e entregou de costas o celular. Por pura maldade, o bandido veio de frente e atirou na cabeça dele", afirmou Márcia Riello, 47, tia do estudante. "Infelizmente hoje a vida vale um celular."

Segundo testemunhas, na fuga, o assassino montou na garupa de uma motocicleta.

Analisando as imagens, o delegado André Pimentel, titular do 81º DP (Belém), concluiu que havia ao menos mais um ladrão na cena do crime --um homem que no vídeo aparece correndo a pé.

Após ser baleado, Deppman foi levado ao hospital Santa Virgínia, mas não resistiu. O corpo dele foi enterrado à tarde no cemitério Quarta Parada (zona leste).

Alunos e professores fizeram um ato em homenagem ao estudante em frente à faculdade. Algumas aulas e provas foram suspensas.

À noite, três homens foram detidos suspeitos de participação no crime --dois adultos e um jovem de 17 anos, que já havia sido detido por roubo e foi apontado como autor do disparo. Eles portavam armas e munição.


Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página