Análise

Datafolha ouve paulistanos que viajam sobre melhores destinos e serviços

Mudanças pouco expressivas nos resultados da edição de 2017 do Melhor de São Paulo Turismo, reforçam o diagnóstico de que há ainda espaço importante a ser explorado por marcas do setor no imaginário do consumidor. A taxa média de entrevistados que não conseguem apontar os melhores players em 50 categorias ultrapassa 30%, um escore elevado considerando-se as características de perfil do universo —paulistanos das classes A/B que viajaram nos últimos 12 meses.

Em alguns itens, a dificuldade em responder ultrapassa o patamar de 70%. São os casos de seguro viagem, casa de câmbio, roaming internacional e empresas de intercâmbio. Também apresentam altos índices de desconhecimento categorias como cruzeiro marítimo, rede de hotéis no exterior e hotéis-fazenda.

Em algumas categorias contudo, a combinação de relevância e comunicação adequada gerou retenção. É uma tendência que se observa especialmente em relação aos aplicativos digitais. As taxas de desconhecimento dos aplicativos de viagem e de busca de hotéis, por exemplo, caíram, no último ano, 11 e sete pontos percentuais, respectivamente. As marcas líderes desses mercados cresceram seis pontos percentuais cada, no mesmo espaço de tempo.

Uma hipótese de explicação para os baixos índices de lembrança de alguns serviços relacionados a viagens ao exterior pode encontrar-se na queda do número de paulistanos que foram para outros países nos últimos 12 meses. No levantamento de 2016, 46% dos entrevistados revelavam a experiência no período correspondente. Agora, são apenas 32%.

Sobre os destinos, dentre as categorias que possibilitam comparação com estudo anterior, as variações, na grande maioria dos casos, ficaram dentro da margem de erro. A cidade do Rio de Janeiro ocupa posição de destaque como polo nacional e lidera em pelo menos quatro itens —destino de Carnaval, Réveillon, para solteiros e melhor cidade no Brasil. Quando a pergunta se refere ao melhor Estado do país para se viajar, menções à Bahia cresceram mais do que lembranças do Rio. No exterior, Estados Unidos tem maior apelo junto aos paulistanos.

Interessante será acompanhar a evolução dessas respostas nas próximas tomadas do "Viaja sãopaulo", quando efeitos da crise nos Estados brasileiros e das novas restrições norte-americanas às viagens ao país, já terão sido absorvidas de maneira mais expressiva pelos consumidores do setor.

*

A PESQUISA

1.646 moradores da capital paulista, das classes A e B, que viajaram nos últimos 12 meses para outros Estados e para fora do Brasil, o Datafolha entrevistou entre 16 e 26 de junho deste ano.

3 pontos percentuais, para mais ou para menos, é a margem de erro, considerando um nível de confiança de 95% (ou seja, se fossem realizados cem levantamentos com a mesma metodologia, em 95% os resultados estariam dentro da margem prevista).

Desempate
Houve a utilização de um teste estatístico que considera a margem de erro de cada percentual em relação à mostra

*

Editoria de Arte
Perfil da pesquisa Datafolha da revista Viaja sãopaulo de 27.ago.2017
Publicidade
Publicidade
Publicidade
  1. 27/08/2017
    1. Confira os serviços preferidos dos paulistanos na hora de viajar, segundo Datafolha

      Confira os serviços turísticos preferidos em pesquisa feita pelo Datafolha com paulistanos das classes A e B que viajaram nos últimos 12 meses.

    2. Eleita melhor praia do Nordeste do país, Porto de Galinhas preserva tesouros da natureza

      Destino inigualável aos olhos dos paulistanos e de parte considerável dos turistas do hemisfério Norte, Porto de Galinhas ainda não revelou a receita do sucesso. Parece milagre como a praia no litoral sul pernambucano manteve ao longo dos anos toda a estrutura para confortáveis dias de descanso e, ao mesmo tempo, guardou tesouros da natureza difíceis de serem encontrados.

    3. Praias, chapadas e história: Bahia é eleito o melhor Estado brasileiro de destino turístico

      O vazio em frente à cachoeira da Fumaça exerce tal atração que a água se confunde e cai para cima. Na baiana Chapada Diamantina, as lembranças persistem. Há mesa de café abastecida e consumida coletivamente, patrimônio histórico neogótico, pão caseiro, caverna, carne de fumeiro, pastel de jaca, rio gelado, trilhas, falta de 3G ou música alta. É um lugar para deitar, praticar o "deboísmo" e conversar até sozinho. Ficar de boa, mesmo calado, deixa de ser irritante para o entorno quando a frequência é a mesma. É como se o motorista lento não ouvisse mais buzina.

    4. Famoso pelo frio, Campos do Jordão é eleito o melhor destino de inverno no Brasil

      A atual temporada de inverno em Campos do Jordão é, até o momento, a mais fria dos últimos seis anos, com média de 16,7ºC. É tudo que os fãs da cidade, escondida entre os mar de montanhas da serra da Mantiqueira, queriam ouvir —e principalmente sentir.

    5. Repleto de praias paradisíacas, Nordeste é eleito o melhor destino para férias em família

      É praticamente impossível dissociar o Nordeste das suas praias paradisíacas, mesmo sabendo que a região brasileira oferece muito mais que a já tradicional combinação de mar de água quentinha com areia e coqueiral. A propósito, duas das mais lindas e ricas chapadas do Brasil, a Diamantina e a das Mesas, ficam naquele pedaço do mapa, respectivamente na Bahia e no Maranhão.

    6. Eleito melhor destino para vinho, Chile e RS têm tour para enófilos principiantes

      Para um país jovem no mundo do vinho como o Brasil, faz todo o sentido que o consumidor iniciante comece pelo começo: conhecendo a regiões vinícolas do Rio Grande do Sul e do Chile.

    7. Eleito melhor país para viajar, Estados Unidos são vários países em um

      Não é à toa que os Estados Unidos foram eleitos pela segunda vez seguida o melhor destino para viagens —os EUA são vários países em um, com infinitos roteiros possíveis.

    8. Nunca é tarde para se conhecer a Disney, eleita melhor parque temático internacional

      No primeiro dia de férias, ela vestia animada sua "roupa de brincar", da gaveta que concentrava bermudinhas e camisetas mais surradas, e pegava o elevador. No 12º andar, o último do prédio, tocava a campainha e estranhava o silêncio. Meire abria a porta e avisava que a amiga não estava. "Foram para a Disney, lembra?" Cabisbaixa, chamava novamente o elevador.

    9. Eleita melhor destino exótico, Tailândia tem paisagens deslumbrantes e templos de embasbacar

      O Buda Dourado, com 2,5 metros de altura, repousa silente no pedestal. Uma das mãos descansa sobre as pernas cruzadas, enquanto a outra, encostada no umbigo, tem a palma voltada para o céu. O semblante sereno espelha a tranquilidade de quem se aprofundou na meditação, e por um instante a leveza da figura faz o visitante esquecer que contempla uma estátua de ouro maciço de inconcebíveis 5,5 toneladas.

    10. Eleita melhor destino no Oriente Médio, Dubai é sinônimo de extravagância e ostentação

      Dubai é uma cordilheira de arranha-céus resplandecentes num descampado árido lambido pelo mar. Suas torres delirantes de aço e vidro abrigam hotéis de luxo e shoppings inimagináveis, um deles com montanhas de neve para quem quer esquiar no Oriente Médio e um aquário cheio de tubarões. Toda noite, jatos d'água iluminados dançam ao som da música do lado de fora do maior desses centros comerciais, o Dubai Mall, que fica à sombra do prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa. Tudo em Dubai é maior, mais alto, mais brilhante, mais caro, mas também mais cafona, mais artificial, mais infernal.

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
Publicidade