Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
15/02/2011 - 16h27

Ecstasy não danifica o cérebro, diz estudo

Publicidade

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Tomar ecstasy não prejudica a função mental, de acordo com um novo estudo, que critica pesquisas anteriores que mostraram diferenças cognitivas entre usuários e não usuários da droga. A informação foi publicada nesta terça-feira no site do jornal britânico "The Guardian".

Almeida Rocha/Folhapress
Estudo realizado nos Estados Unidos defende que o ecstasy não causa danos no cérebro; consumo ainda é arriscado
Estudo realizado nos Estados Unidos defende que o ecstasy não causa danos no cérebro; consumo ainda é arriscado

Testes comparativos entre 52 usuários de ecstasy e 59 não usuários nos EUA mostraram que o consumo não provoca a perda da capacidade mental, segundo os resultados relatados na revista "Addiction".

A nova pesquisa ainda afirma que os estudos anteriores que encontraram comprometimento do poder do cérebro tinham erros.

No entanto, o autor John Halpern, do Hospital McLean, em Massachusetts, advertiu que o consumo da droga ainda é arriscado. "Pílulas feitas ilegalmente podem conter substâncias nocivas. Elas não possuem rótulos de advertência, não há supervisão médica e, em casos raros, as pessoas podem ter prejuízos físicos ou mesmo morrer de overdose", disse ele.

+ Livraria

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página