Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/12/2003 - 17h19

Deputados expulsos do PT devem criar novo partido

Publicidade

RICARDO MIGNONE
da Folha Online, em Brasília

Os deputados radicais expulsos hoje do PT anunciaram que deverão criar um novo partido no futuro, mas deixaram claro que, no momento, não se filiarão a nenhuma sigla.

De acordo com a deputada Luciana Genro (RS), o processo político para a criação de uma nova legenda é longo, porém ela ressaltou que há espaço político para isso.

"Os que estão saindo agora vão se dar conta de que é necessário construir um novo partido. Há espaço político real para essa construção. Já coletamos mais de 6.000 assinaturas", disse Luciana.

Ela deixou claro que a criação da nova sigla não tem prazo para acontecer. "Esse é um processo político. Ele não tem prazo nem data. Não estamos aqui fundando um novo partido. Essa construção não se faz da noite para o dia", disse a deputada.

Sobre o processo de expulsão, ela lamentou, mas disse que ficou até o fim para que os governistas do PT "mostrassem sua face autoritária".

Tribunal viciado

O deputado João Fontes (SE) foi mais veemente nas críticas. Ele acusou o diretório de tomar uma decisão sem legitimidade pelo fato de a maior parte de seus integrantes terem cargos no governo.

"Foi um tribunal extremamente viciado e sem legitimidade. Eu não me sinto legitimamente expulso de um partido que tem na sua grande maioria auxiliares do governo Lula", disse Fontes.

Ele atacou particularmente o presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, que é de seu Estado. 'O presidente da Petrobras é um medroso. Ele não iria votar para perder o emprego', afirmou o deputado, referindo-se a Dutra.

Os três radicais disseram acreditar que o julgamento deles deveria ter sido feito por meio de um plebiscito envolvendo todos os filiados ao PT.

Gafanhotos

O deputado João Batista Araújo, o Babá (PA), pouco depois de ser desligado do PT, afirmou que a legenda "expulsa os trabalhadores e fica com Flamarion [Portela, governador de Roraima]", acusado de envolvimento em desvio de dinheiro público.

Babá, considera que o PT mudou "completamente" desde sua fundação e não cumpre as promessas feitas quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda era candidato.

"O governo Lula vem seguindo todo o receituário neoliberal. Lula cede aos banqueiros e confronta os trabalhadores", afirmou Babá.

Ele evitou, no entanto, afirmar que vai fazer oposição à base governista.

"Em nenhum momento defendemos "fora Lula". Mas o governo do PT só vai mudar com mobilização de massas.

Leia mais
  • Expulsa do PT, Heloísa Helena diz que "não chora mais"
  • Heloísa Helena diz que vai recorrer de decisão do PT
  • Heloísa Helena diz que vai recorrer de decisão do PT
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página