Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
20/08/2009 - 10h57

DEM pede cassação do prefeito de Recife

Publicidade

da Folha Online

O DEM entrou com recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contestando a diplomação do prefeito eleito em Recife (PE), João da Costa (PT), e seu vice, Milton Coelho (PSB).

De acordo com a acusação, o então candidato João da Costa teria distribuído 50 mil exemplares da revista do Orçamento Participativo do município, em período pré-eleitoral. A publicação teria sido custeada pela Secretaria do Orçamento Participativo, que tinha como secretário João da Costa.

O partido argumenta que a revista foi amplamente distribuída para a população de Recife, além de ter havido uma grande festa para o seu lançamento. Na ocasião, João da Costa teria sido apresentado como um grande gestor público.

O Ministério Público Eleitoral investigou o ato, inclusive com a realização de busca e apreensão de computadores. Dessa busca, resultaram laudos da Polícia Federal que apontavam crimes eleitorais como o uso de funcionários públicos em favor da candidatura de João da Costa.

No entanto, o próprio Ministério Público deu um parecer afirmando que os crimes praticados não tiveram potencialidade para justificar a cassação do mandato do prefeito eleito. Assim, o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Pernambuco aplicou multa, mas manteve o mandato dos políticos.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria do prefeito para comentar o assunto.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página