Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
31/07/2005 - 00h00

Nova droga causa perda total dos dentes de viciados nos EUA

Publicidade

da AFP, em Sikeston (EUA)

O "crystal meth", uma anfetamina seis vezes mais barata que a cocaína, mas que provoca efeitos dez vezes mais potentes, está causando estragos nas zonas rurais dos Estados Unidos, destruindo o cérebro e a dentição dos viciados.

"Nunca houve uma droga com efeitos tão devastadores para os dentes como o 'crystal meth'", afirmou recentemente Nancy Williams, um professor de odontologia da Universidade de Tennessee, em Memphis, que está ministrando conferências em todo o país para advertir sobre os perigos desta droga.

Em todos os lugares dos Estados Unidos os dentistas vêm constatando um grande aumento das doenças bucodentais. Em alguns casos extremos, a deterioração dos dentes é tanta que é preciso extraí-los todos.

Com o consumo de 'crystal meth', os danos são impressionantes. Os dentes se tornam frágeis e quebram com grande facilidade. Uma série de cavidades negras se forma ao longo da gengiva.

"É como se você pedisse a uma pessoa que bata nos próprios dentes com um martelo. A destruição é total", compara Jeffrey Paskar, um dentista que trabalha na prisão de Springfield, no Estado de Missouri. Para identificar os consumidores de 'crystal meth', a polícia pede antes de tudo que o suspeito abra a boca.

Essa droga substituiu a cocaína na escala das maiores preocupações das autoridades encarregadas do combate aos entorpecentes, como revela um estudo publicado no início de julho que destaca ainda que o problema tomou proporções dramáticas no oeste dos Estados Unidos.

"Vantagens"

Para os viciados, o "crystal meth" tem várias "vantagens" em relação à cocaína. É muito mais barato e pode ser fabricado com facilidade. O princípio ativo da droga é a fenedrina, uma substância que se encontra nos remédios contra a tosse ou a gripe, à qual se acrescentam produtos como amônia. Os consumidores trocam receitas que circulam na internet.

Diversos fatores explicam os estragos que o "crystal meth" causa aos dentes. A droga resseca a boca e a saliva circula menos, deixando de ser uma defesa contra as cáries.

Além disso, os viciados em crystal meth costumam beber grandes quantidades de refrescos açucarados, aumentando as chances de ter cáries, e os elementos químicos que compõem a droga são conhecidos por seus efeitos corrosivos sobre os dentes. Por fim, as pessoas sob o efeito desta anfetamina esquecem muitas vezes de escovar os dentes.

Os dentistas enfrentam agora um problema ético, pois quando examinam uma pessoa que apresenta este tipo de patologia eles devem denunciá-la à polícia, correndo o risco de violar o segredo médico. Muitos profissionais escolhem avisar a polícia para "salvar" a vida de seus pacientes.

Como o dentista John Sauer, impressionado com o caso de uma paciente de 16 anos que tinha 18 cáries. Um ano e meio antes da consulta, a adolescente tinha uma boca totalmente sã.

Muitos Estados americanos tentam tornar mais difícil o acesso às substâncias utilizadas para fabricar o "crystal meth". Na quinta-feira passada, o governo federal aceitou legislar sobre a venda de xaropes contra a tosse e de medicamentos antialérgicos.

O projeto de lei ainda tem de ser aprovado pelo Senado. Porém, os traficantes já se anteciparam à medida e, segundo informações da imprensa, têm instalado laboratórios clandestinos no México para se esquivar das restrições.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página