Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
01/07/2000 - 17h30

Ex-Polegar engole duas pilhas e pára no hospital

Publicidade

CASSIA DIAN
do Notícia Populares

O ex-Polegar Rafael Ilha voltou a engolir pilhas. Na sexta-feira (30), o cantor burlou a segurança do Sanatório Ismael, em Amparo (interior de São Paulo), onde está internado, e engoliu duas pilhas pequenas.

Esta não é a primeira vez que Rafael engole objetos. Em fevereiro deste ano, ele engoliu uma pilha, uma caneta e 3 isqueiros. Na última quinta (29), o ex-Polegar deixou a Clínica Garden Hill, em Atibaia(interior), e foi encaminhado pela polícia ao sanatório de Amparo.

Há um ano, Rafael vem se submetendo a tratamento para se livrar das drogas. Seu médico durante este período, o psiquiatra Sabino Ferreira de Farias Neto, abriu mão do caso na quinta.

O doutor Sabino emitiu um laudo para que Rafael deixasse sua clínica e fosse para o sanatório. Rafael Ilha engoliu as pilhas na tarde de sexta-feira quando os enfermeiros não estavam por perto.

"Aqui é um hospital psiquiátrico. Os pacientes ficam em enfermarias. Não tem como colocar um enfermeiro para cada paciente", explicou o doutor Roberto Ramos, médico do sanatório.

O doutor Roberto contou que, por enquanto, Rafael não corre risco de vida. Os médicos do sanatório aguardavam a chegada de um cirurgião que decidiria o que seria feito.

Depois de engolir as pilhas, Rafael foi levado à Beneficência Portuguesa da cidade. Lá, o plantonista tirou o raio X e viu as pilhas no estômago do cantor.

Como Rafael se "agitou" no hospital, os funcionários acharam melhor devolvê-lo ao sanatório, antes mesmo de o cirurgião chegar.

O cirurgião é quem poderá decidir se Rafael sofrerá uma endoscopia (exame que enfia um tubo na garganta pra olhar o que tem lá dentro) ou uma cirurgia.

No entanto, os médicos precisam encontrar a família do cantor pra que ela autorize a operação.

Leia mais notícias de cotidiano na Folha Online

Discuta esta notícia nos Grupos de Discussão da Folha Online
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página