Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/11/2003 - 17h50

Polícia prende mais um acusado pela morte de casal de namorados

Publicidade

da Folha Online

A polícia prendeu nesta terça-feira, na região de Embu-Guaçu, Grande São Paulo, mais um acusado de ter participado das mortes dos estudantes Felipe Silva Caffé, 19, e Liana Friedenbach, 16.

Segundo Paulo Koch, titular da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), o acusado preso foi identificado apenas como Agnaldo. Ele teria cerca de 40 anos.

Um terceiro envolvido nas mortes, conhecido apenas como Pernambuco, ainda é procurado pela polícia.

Para a Polícia Civil, o crime está esclarecido, apesar de um dos acusados permanecer foragido.

Reprodução
Os estudantes Felipe e Liana
Desaparecidos

O casal estava desaparecido desde o último dia 31, quando foi acampar em um sítio na região de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo. Os corpos foram encontrados pela polícia nesta segunda-feira.

Felipe foi morto com um tiro na nuca e Liana, a facadas. O adolescente R.A.C., 16, acusado de envolvimento nos assassinatos, foi detido e, segundo a polícia, confessou o crime. Policiais consideraram o rapaz "desequilibrado".

O enterro de Felipe ocorreu no cemitério da Vila Alpina, na zona leste, e o de Liana, no cemitério Israelita do Butantã, na zona oeste, na tarde desta terça-feira.

Viagem

Os estudantes mentiram para os pais. Liana havia dito que iria para Ilhabela, no litoral, com um grupo de jovens da comunidade israelita. Os pais de Felipe disseram que sabiam que o rapaz iria acampar, mas acreditavam que ele estaria com amigos.

Os pais descobriram a mentira dois dias depois de os estudantes viajarem, porque eles não retornavam para casa. Para chegar ao sítio, o casal pegou um ônibus para Embu-Guaçu, em uma viagem de cerca de duas horas. Na cidade, compraram miojo, água, biscoitos e leite em pó.

De lá, pegaram um outro ônibus para Santa Rita, um lugarejo perto do sítio abandonado. Os estudantes ainda andaram 4,5 km a pé até o local em que acamparam, sob um telhado caindo aos pedaços.

Leia mais
  • Corpos de estudantes são enterrados em São Paulo
  • Estudante teria sido morta há dois dias, diz perícia
  • Polícia procura outros dois suspeitos de matarem estudantes
  • Amigo que levou estudante a sítio chora
  • Acusado de matar casal é "desequilibrado", diz polícia
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página