Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
16/07/2008 - 07h51

Turista que morreu na Coréia do Norte foi atingida por dois disparos

Publicidade

da Efe, em Seul

Legistas sul-coreanos confirmaram nesta quarta-feira que a turista que morreu na sexta-feira passada (11) em Geumgang, na Coréia do Norte, recebeu um disparo no peito e outro nas nádegas, informou a agência de notícias Yonhap.

"Encontramos dois ferimentos de bala no peito e nas nádegas", disse Seo Jung-seok, legista-chefe do Instituto Nacional de Pesquisa Científica, após ter feito a autópsia na vítima.

No entanto, o especialista disse que não foi possível determinar a distância da qual foi feito o disparo sem visitar o local do incidente.

A turista sul-coreana Park Wang-ja, 53, morreu na sexta-feira após ser baleada por um soldado norte-coreano no monte Geumgang, quando entrou em uma área militar restrita enquanto passeava na praia.

Yoon Man-joon, presidente-executivo da Hyundai Asan, companhia que administra a zona turística, disse hoje que as autoridades norte-coreanas afirmaram que o soldado disparou três vezes na turista após dar um tiro para o alto.

Antes, a Coréia do Norte havia dito que o soldado deu dois tiros quando a mulher começou a fugir, após ter entrado em área militar restrita.

A Hyundai Asan pediu às autoridades norte-coreanas que permitam a entrada de uma equipe sul-coreana para investigar a morte da turista. A companhia também afirmou que a Coréia do Norte manifestou reiteradamente que não haveria tiros se soubessem que era uma turista.

O governo sul-coreano deve reforçar a pressão internacional à Coréia do Norte se este país continuar rejeitando cooperar com Seul para esclarecer o incidente.

Além disso, Seul estuda se é possível pedir uma indenização a Pyongyang para a família da vítima, de acordo com a Yonhap.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página