Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
25/06/2010 - 12h47

Editor de jornal censurado é assassinado a tiros em Ruanda

Publicidade

DA REUTERS, EM KIGALI (RUANDA)

O jornalista Jean Leonard Ruganbage, editor do jornal Umuvugizi, atualmente censurado pelo governo, foi assassinado em frente à sua casa num subúrbio de Kigali, informaram autoridades locais.

De acordo com o porta-voz da polícia de Kigali, Eric Kayiranga, o jornalista levou dois tiros. "Eram cerca de 22h em frente ao seu portão, quando ele voltava para casa. Um criminoso armado atirou nele com duas balas. A polícia chegou cinco minutos depois e levou o corpo ao hospital. Ele morreu na hora".

O chefe de Ruganbage, o editor Jean Bosco Gasasira, atualmente exilado em Uganda, acusou o governo de ser o responsável pelo atentado.

"Eu e meu editor estávamos realizando uma matéria investigativa, ele estava sob intensa vigilância, Nós temos 100% de certeza que os responsáveis são aqueles que estávamos investigando", disse o editor-chefe por telefone, de Kampala.

Gasasira indicou que o assassinato poderia estar ligado com uma matéria publicada no site do jornal, que culpava a inteligência da Ruanda por uma tentativa de assassinato de um ex-oficial do Exército e chefe de inteligência uma semana atrás, na África do Sul.

"Isto é mentira" disse o porta-voz da polícia. "Ele é um homem comum, como qualquer outro. Por que seria morto pelo governo? Não há indicação alguma que possa ligar o fato a um assassinato feito pelo governo", disse Kayiranga.

O atentado chega meses antes das eleições presidenciais em Ruanda, agendadas para o dia nove de agosto.

O governo baniu o jornal Umuvugizi por seis meses em abril deste anos alegando conteúdo errôneo e incitação à oposição.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página