Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
24/08/2011 - 20h20

Professores da rede estadual de Minas decidem manter greve

Publicidade

DE SÃO PAULO

Os professores da rede estadual de ensino de Minas Gerais decidiram, em assembleia realizada na tarde desta quarta-feira, manter a greve da categoria, que já dura dois meses e meio.

Professores fazem paralisação pelo cumprimento da Lei do Piso

Os grevistas pedem o pagamento do piso nacional dos professores, instituído por lei federal. Para eles, o governo não poderia considerar no salários básico os benefícios adicionais. Já o governo diz que paga mais que o piso nacional, incluindo essa gratificações.

A Secretaria da Educação informou que o menor salário pago em Minas é R$ 1.122 por 24 horas semanais, ante os R$ 1.187 estabelecidos pela lei federal para 40 horas.

O Sind-Ute (Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais) diz que o vencimento básico é de R$ 369.

O governo do Estado propôs na terça-feira (23) aumento de 5% para servidores da Educação, além de outras medidas. Mas os grevistas recusaram a proposta porque, para eles, ela não institui o piso salarial.

Segundo o sindicato, a greve afeta 50% das escolas de todo o Estado.

Já o governo diz que 2% das escolas estão completamente paradas e 19% estão funcionando parcialmente.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página