Eleita melhor marca de turismo, CVC embarca cerca de cem aviões por dia com seus viajantes

Melhor marca de turismo: 36%
Agência de viagem on-line: 19%

Vamos viajar em números, muitos números. O ano era o de 1972, quando se expandia e se concentrava a indústria na Grande São Paulo, na época do chamado "milagre econômico". Em Santo André, a rua Cesário Motta era uma vitrine do boom econômico: agências bancárias, redes de lojas, pedestres dispostos a gastar.

O número 468 exibia uma placa, que ficava bem acima da porta de entrada e praticamente encobria a fachada da pequena agência de viagens. Nela, três letras na vertical, as iniciais de seu fundador, deixavam espaço para as marcas famosíssimas das companhias aéreas de então: Varig, Cruzeiro, Transbrasil, Vasp. Afinal de contas, voar, naqueles tempos, era mais que um luxo.

Enquanto as quatro empresas ficaram no passado, a lojinha não parou de crescer. Assistiu à derrocada não só das aéreas como também de inúmeros concorrentes.

Levando gente para passear —primeiramente metalúrgicos do ABC que iam de ônibus para a praia, depois diferentes classes trabalhadoras para qualquer canto do mundo—, foi ganhando cada vez mais terreno. As três letrinhas tornaram-se, então, gigantescas: CVC.

Só no ano passado, ela pôs para voar e também andar de ônibus seis vezes a população inteira de sua terra natal, Santo André, quase 4 milhões de passageiros. Enquanto você lê este texto, cerca de cem aviões estão cruzando os céus do Brasil com passageiros dela. Seja para relaxar numa praia, seja para fazer um intercâmbio em sete idiomas, seja para uma viagem de negócios, todo santo dia 14 mil passageiros estão com a CVC.

Para atender a essa multidão, são gerados cerca de 500 mil empregos indiretos, de guias a motoristas, de garçons a camareiras.

Mesmo em tempos bicudos, abre a cada três dias um novo ponto onde é possível visualizar as três letras azuis, que descansam sobre um círculo amarelo ao fundo. O faturamento gira na casa dos R$ 5,5 bilhões.

Neste ano, a marca deve reservar 4,6 milhões de diárias em hotéis e resorts por todo o globo terrestre. De cada dez passageiros que entram em suas 1.136 lojas franqueadas ou nas 6.500 agências multimarcas em 430 municípios do país, sete saem com "viagens customizadas", ou seja, organizadas do seu jeito.

A maioria deles (65%) opta por destinos nacionais, que, em si, constituem um vasto cardápio. De modo geral, a agência oferece em torno de mil lugares aqui e acolá: da festiva Porto Seguro (BA) à badalada Bancoc, na budista Tailândia.

A política da operadora segue a mesma cartilha de 45 anos atrás: para tornar o sonho da viagem possível, a compra pode ser parcelada em até 12 vezes. Para quem começou com as tradicionais excursões de fim de semana —além das praias, Barra Bonita e Campos do Jordão—, a CVC, a julgar pelo andar da carruagem, breve, breve deve chegar à Lua!

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  1. 27/08/2017
    1. Confira os serviços preferidos dos paulistanos na hora de viajar, segundo Datafolha

      Confira os serviços turísticos preferidos em pesquisa feita pelo Datafolha com paulistanos das classes A e B que viajaram nos últimos 12 meses.

    2. Eleita melhor praia do Nordeste do país, Porto de Galinhas preserva tesouros da natureza

      Destino inigualável aos olhos dos paulistanos e de parte considerável dos turistas do hemisfério Norte, Porto de Galinhas ainda não revelou a receita do sucesso. Parece milagre como a praia no litoral sul pernambucano manteve ao longo dos anos toda a estrutura para confortáveis dias de descanso e, ao mesmo tempo, guardou tesouros da natureza difíceis de serem encontrados.

    3. Praias, chapadas e história: Bahia é eleito o melhor Estado brasileiro de destino turístico

      O vazio em frente à cachoeira da Fumaça exerce tal atração que a água se confunde e cai para cima. Na baiana Chapada Diamantina, as lembranças persistem. Há mesa de café abastecida e consumida coletivamente, patrimônio histórico neogótico, pão caseiro, caverna, carne de fumeiro, pastel de jaca, rio gelado, trilhas, falta de 3G ou música alta. É um lugar para deitar, praticar o "deboísmo" e conversar até sozinho. Ficar de boa, mesmo calado, deixa de ser irritante para o entorno quando a frequência é a mesma. É como se o motorista lento não ouvisse mais buzina.

    4. Famoso pelo frio, Campos do Jordão é eleito o melhor destino de inverno no Brasil

      A atual temporada de inverno em Campos do Jordão é, até o momento, a mais fria dos últimos seis anos, com média de 16,7ºC. É tudo que os fãs da cidade, escondida entre os mar de montanhas da serra da Mantiqueira, queriam ouvir —e principalmente sentir.

    5. Repleto de praias paradisíacas, Nordeste é eleito o melhor destino para férias em família

      É praticamente impossível dissociar o Nordeste das suas praias paradisíacas, mesmo sabendo que a região brasileira oferece muito mais que a já tradicional combinação de mar de água quentinha com areia e coqueiral. A propósito, duas das mais lindas e ricas chapadas do Brasil, a Diamantina e a das Mesas, ficam naquele pedaço do mapa, respectivamente na Bahia e no Maranhão.

    6. Eleito melhor destino para vinho, Chile e RS têm tour para enófilos principiantes

      Para um país jovem no mundo do vinho como o Brasil, faz todo o sentido que o consumidor iniciante comece pelo começo: conhecendo a regiões vinícolas do Rio Grande do Sul e do Chile.

    7. Eleito melhor país para viajar, Estados Unidos são vários países em um

      Não é à toa que os Estados Unidos foram eleitos pela segunda vez seguida o melhor destino para viagens —os EUA são vários países em um, com infinitos roteiros possíveis.

    8. Nunca é tarde para se conhecer a Disney, eleita melhor parque temático internacional

      No primeiro dia de férias, ela vestia animada sua "roupa de brincar", da gaveta que concentrava bermudinhas e camisetas mais surradas, e pegava o elevador. No 12º andar, o último do prédio, tocava a campainha e estranhava o silêncio. Meire abria a porta e avisava que a amiga não estava. "Foram para a Disney, lembra?" Cabisbaixa, chamava novamente o elevador.

    9. Eleita melhor destino exótico, Tailândia tem paisagens deslumbrantes e templos de embasbacar

      O Buda Dourado, com 2,5 metros de altura, repousa silente no pedestal. Uma das mãos descansa sobre as pernas cruzadas, enquanto a outra, encostada no umbigo, tem a palma voltada para o céu. O semblante sereno espelha a tranquilidade de quem se aprofundou na meditação, e por um instante a leveza da figura faz o visitante esquecer que contempla uma estátua de ouro maciço de inconcebíveis 5,5 toneladas.

    10. Eleita melhor destino no Oriente Médio, Dubai é sinônimo de extravagância e ostentação

      Dubai é uma cordilheira de arranha-céus resplandecentes num descampado árido lambido pelo mar. Suas torres delirantes de aço e vidro abrigam hotéis de luxo e shoppings inimagináveis, um deles com montanhas de neve para quem quer esquiar no Oriente Médio e um aquário cheio de tubarões. Toda noite, jatos d'água iluminados dançam ao som da música do lado de fora do maior desses centros comerciais, o Dubai Mall, que fica à sombra do prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa. Tudo em Dubai é maior, mais alto, mais brilhante, mais caro, mas também mais cafona, mais artificial, mais infernal.

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. 4
  5. 5
Publicidade