Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
26/07/2012 - 06h42

Marco Civil coloca Brasil 'muito à frente de outros países', diz fundador do Partido Pirata

Publicidade

YURI GONZAGA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Rick Falkvinge, 40, fundou na Suécia, sua terra natal, o primeiro Partido Pirata do mundo.

Desde 2006, ano da fundação, a agremiação ganhou correlatos em 56 países e acumulou 15 cadeiras no Parlamento da Alemanha e duas no Parlamento Europeu.

A "filial" brasileira será oficialmente lançada por ele próprio durante a Campus Party de Recife, evento que acontece entre esta quinta-feira (26) e sábado.

Divulgação
Rick Falkvinge, 40, fundador do primeiro Partido Pirata do mundo
Rick Falkvinge, 40, fundador do primeiro Partido Pirata do mundo

Nesta entrevista realizada por e-mail, Falkvinge fala com exclusividade à Folha.

*

Folha - De onde surgiu a ideia de um partido pirata?

Rick Falkvinge - As pessoas que passam boa parte do dia na internet já protestavam há muito contra o abuso legalizado que cometem as autoridades. Percebendo o apelo que elas tinham com o público, mas não com políticos, achei que fosse a hora de politizar a questão.

A que atribui seu sucesso?

A decolagem do partido foi causada em grande parte pelos crimes cometidos contra [o site de compartilhamento] "The Pirate Bay". Os eleitores perceberam que o sistema estava disposto a pisar sobre cadáveres para salvaguardar os privilégios dele.

Qual é a agenda do partido?

Não lutamos somente pela liberdade na internet, apesar de termos começado por aí. Acabamos nos tornando um partido que representa o estilo de vida desta geração.

O que significa vir ao Brasil?

Já estive em boa parte da Europa e dos EUA, mas é a primeira vez que vou à América do Sul. Estou realmente animado para visitar um país sobre o qual já ouvi tão bem.

Estou otimista em relação à iniciativa do Marco Civil, que tem como princípio a privacidade do usuário --à frente dos interesses comerciais. Isso põe o Brasil muito à frente de outros países.

Temos um problema de corrupção no Brasil. Como você compararia os sistemas políticos brasileiro e sueco?

A corrupção é um problema endêmico das sociedades que não são transparentes. Enquanto na América do Sul existe corrupção monetária, em países como a Suécia há corrupção de amizade.

A questão se liga mais à sua rede de contatos: se você não conhecer as pessoas certas, não terá casa, trabalho ou mesmo acesso ao sistema de saúde -e isso tudo piora se você for imigrante.

Os dois tipos de corrupção são obviamente ruins, mas considero o da Suécia pior.

Qual sua opinião sobre o caso Megaupload?

A violência utilizada contra Kim Dotcom e seu site só torna mais óbvio quão obsoleta é a indústria fonográfica.

O que é a internet para você?

Deve ser a maior invenção da humanidade desde a escrita, 6.000 anos atrás. Ela muda todas as estruturas de poder, dando voz às pessoas e aos oprimidos a possibilidade de derrubarem os poderosos. Acho isso lindo.

 
Envie sua notícia

Publicidade

As Últimas que Você não Leu

  1.  

Publicidade

[an error occurred while processing this directive]

Livraria da Folha

Fifa 15 (PC)

Fifa 15 (PC)

EA

Comprar
Cultura da Conexão

Cultura da Conexão

Henry Jenkins, Joshua Green e Sam Ford

Comprar
Cibercultura

Cibercultura

Pierre Lévy

Comprar
Nós Somos Anonymous

Nós Somos Anonymous

Parmy Olson

Comprar
Desenvolvendo seu Primeiro Aplicativo Android

Desenvolvendo seu Primeiro Aplicativo Android

Luiz Carlos Querino Filho

Comprar

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Fogão Fogão De diversas marcas a partir de R$ 358,20

Notebook Notebook Windows 8, LED, Intel" Core a partir de R$ 799,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página