Siga a folha

Margem de lucro da Tesla cai após política de descontos agressiva

Resultados da montadora ficam abaixo do esperado pelo mercado no trimestre e ações caem

Assinantes podem enviar 5 artigos por dia com acesso livre

ASSINE ou FAÇA LOGIN

Continue lendo com acesso ilimitado.
Aproveite esta oferta especial:

Oferta Exclusiva

3 meses por R$1,90

+ 6 de R$ 19,90 R$ 9,90

ASSINE A FOLHA
ou

Cancele quando quiser

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 200 colunas e blogs.
Apoie o jornalismo profissional.

Akash Sriram Hyunjoo Jin
Bengaluru (Índia) e San Francisco | Reuters

As margens de lucro da Tesla ficaram abaixo das estimativas do mercado para o primeiro trimestre deste ano, limitadas por uma série de cortes agressivos nos preços na intenção de estimular a demanda em uma economia em declínio e afastar a concorrência cada vez maior.

A Tesla, liderada por Elon Musk, divulgou nesta quarta-feira (19) margem bruta (lucro dividido pela receita no período) total de 19,3%, em comparação com as expectativas de 22,4%, de acordo com 14 analistas consultados pela Refinitiv. Esse foi o valor mais baixo desde o quarto trimestre de 2020.

As ações da montadora com sede em Austin, no Texas, chegaram a recuar quase 4% no pós-mercado.

Logo da Tesla em fábrica em Bern, Suíça - Arnd Wiegmann - 28.out.2020/Reuters

A fabricante de veículos elétricos reduziu seus preços diversas vezes nos Estados Unidos, na China e outros em mercados desde o final do ano passado, com Musk dizendo que a Tesla poderia sacrificar suas margens para impulsionar o crescimento no volume de vendas durante uma recessão.

No entanto, os analistas dizem que a Tesla talvez precise cortar ainda mais os preços, pressionada pela atual guerra de preços, especialmente na China, para sustentar a demanda por sua linha de modelos antigos, ainda que permaneça produzindo versões mais atualizadas nas fábricas da empresa em Berlim e no Texas.

Nos Estados Unidos, onde os recentes subsídios ao setor têm impulsionado modestamente as vendas, a Tesla já reduziu seis vezes os preços dos carros neste ano, o que diminuiu sua margem bruta automotiva. A empresa também ampliou os cortes de preços em Singapura, Israel e Europa.

A montadora reiterou na quarta-feira sua previsão de entregar cerca de 1,8 milhão de veículos este ano. A companhia disse anteriormente que entregou bem menos carros do que o produzido devido problemas de logística. No primeiro trimestre, a Tesla entregou cerca de 18 mil carros a menos do que produziu.

A empresa divulgou receita de US$ 23,33 bilhões no primeiro trimestre, ante estimativa de US$ 23,21 bilhões, de acordo com consenso de 22 analistas consultados pela Refinitiv.

A empresa reportou lucro líquido de US$ 2,5 bilhões, abaixo dos US$ 3,32 bilhões registrados um ano antes.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas