Tartaruga parente de George Solitário é encontrada em Galápagos

George foi famoso por ser o último exemplar de sua variedade

Quito | AFP

Uma expedição científica encontrou em Galápagos uma tartaruga com alta carga genética da espécie a que pertenceu o famoso George Solitário, o último exemplar de sua variedade. A descoberta foi anunciada na última semana pelo Parque Nacional Galápagos (PNG).

O animal encontrado é uma jovem fêmea, considerada de “alta prioridade” por possuir grande semelhança com a espécie Chelonoidis abingdonii, um tipo de tartaruga gigante considerada extinta na ilha Pinta.

A espécie é a mesma à qual pertencia George, que morreu em 2012 com cerca de cem anos de idade depois de se negar a conviver em cativeiro com fêmeas de subespécies relacionadas, informou o parque em comunicado. Ele chegou a ficar conhecido como a criatura mais rara do mundo.

George Solitário, que morreu em 2012  - Heidi Snell - 5.fev.2001/Reuters

A tartaruga foi encontrada durante uma expedição realizada no vulcão Wolf, na ilha Isabela. Além dela, guardas florestais e cientistas do PNG e da organização Galapagos Conservancy localizaram outras 29 tartarugas —11 machos e 18 fêmeas— que têm linhagem parcial da espécie Chelonoidis niger, da ilha Floreana.

Os especialistas acreditam que a parente de George Solitário possa ser descendente direta de um indivíduo puro que possivelmente ainda habite algum lugar nas proximidades do vulcão.

Os 30 animais coletados durante a expedição de dez dias foram levados a um centro de recuperação na ilha Santa Cruz. Após uma quarentena, os parentes da espécie Chelonoidis niger se somarão a um programa de reprodução em cativeiro. Já a parente de George ainda não tem destino certo, segundo o PNG.

Os cientistas as encontraram ao seguir os passos de piratas e baleeiros pelo vulcão Wolf, onde se costumavam abandonar tartarugas quando se tornava necessário reduzir a carga dos barcos.

O PNG calcula que ali haja entre 10 mil e 12 mil tartarugas em uma superfície de 600 quilômetros quadrados.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.