Jeff Bezos diz que sua empresa levará primeira mulher à superfície da Lua

Companhia do bilionário americano disputa contrato da Nasa para construir naves para missões tripuladas

Joey Roulette Rama Venkat
Washington e Bangalore (Índia) | Reuters

A empresa aeroespacial Blue Origin, de Jeff Bezos, levará a primeira mulher à superfície da Lua, anunciou nesta sexta (4) o bilionário americano. A Nasa (agência espacial dos Estados Unidos) se aproxima de uma decisão sobre sua escolha das primeiras naves de construção privada para pousos lunares capazes de levar astronautas ao satélite a partir de 2024.

“Este (BE-7) é o motor que levará a primeira mulher à superfície da Lua”, disse Bezos em uma publicação no Instagram com um vídeo do teste da máquina conduzido nesta semana no centro de voo da Nasa em Huntsville, Alabama.

O motor BE-7, que a Blue Origin vem desenvolvendo há anos, já soma 1.245 segundos de tempo de teste de fogo e vai levar o sistema de pouso lunar da companhia, o National Team Human Landing System.

A Blue Origin lidera o “time nacional” que formou em 2019 para construir o seu foguete Blue Moon. Integram ainda o consórcio Lockheed Martin Corp., Northrop Grumman Corp. e Draper.

A Blue Origin tem disputado contratos lucrativos com o governo em anos recentes e compete com o bilionário rival Elon Musk e sua SpaceX, e a Dynetics, da Leidos Holdings Inc., pelo contrato para construir o próximo sistema de pouso lunar tripulado para levar astronautas à Lua na próxima década.

Jeff Bezos, de blazer e camisa, olha para a câmera em frente ao foguete, que só é visto parcialmente
Jeff Bezos, presidente da Amazon, na apresentação do foguete Blue Moon, de sua empresa aeroespacial Blue Origin, em Washington - Clodagh Kilcoyne - 9.mai.19/Reuters

Em abril, a Nasa deu um contrato de desenvolvimento de um pousador lunar ao time da Blue Origin de US$ 579 milhões, assim como a outras duas companhias: a SpaceX, que recebeu US$ 135 mi para ajudar a desenvolver o sistema Starship, e a Dynetics, que recebeu US$ 253 milhões.

A Nasa deve escolher duas das três companhias “no começo de março” de 2021 para continuar a construir os protótipos de pousadores para missões tripuladas à Lua a partir de 2024, disse uma porta-voz da agência.

No entanto, verbas exíguas para os sistemas de pouso disponibilizadas para a Nasa pelo Congresso americano, assim como a incerteza sobre o que pensa a administração do presidente eleito Joe Biden quanto a exploração espacial, ameaçam atrasar a decisão da agência sobre o avanço nos contratos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.