Bando derruba torre de energia no CE; polícia apreende carga de explosivos

Atentado à estrutura foi registrado em cidade da Grande Fortaleza neste sábado (12)

João Pedro Pitombo
Salvador

Em mais uma madrugada de ataques no Ceará, criminosos derrubaram uma torre de transmissão de energia em Maracanaú, cidade da Grande Fortaleza.

Os bandidos usaram explosivos para derrubar a torre da empresa Sistema de Transmissão Nordeste (STN), que acabou tombando.

Em nota, a distribuidora Enel Distribuição Ceará confirmou o ataque e informou que enviou equipes ao local para inspecionar os danos.

A Enel informou que o ataque não resultou em interrupção no fornecimento de energia para clientes da distribuidora. Contudo, uma rodovia teve que ser bloqueada temporariamente por causa do perigo gerado pelos fios de alta tensão. ​

Na manhã deste sábado (12), os bandidos provocaram uma explosão em uma concessionária de automóveis em Fortaleza. O ataque aconteceu por volta das 5h da manhã e não deixou feridos.

Este é o 11º dia seguido de ataques registrado no Ceará. Ao todo, foram registradas 194 ocorrências provocadas pelos criminosos desde o início do ano.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará, um suspeito de ter atuado do ataque contra a concessionária de veículos foi preso em flagrante ainda na manhã deste sábado.

Após perseguição policial, Danilo Barbosa de Assis, 22, que portava uma pistola, foi detido nas proximidades do estabelecimento comercial. Ele foi autuado em flagrante pelos crimes de dano, explosão, receptação, porte ilegal de arma de uso restrito e por integrar organização criminosa.

Nas imediações do Anel Viário, no bairro Ancuri, onde a torre foi derrubada, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar do Ceará e peritos da Perícia Forense do Estado do Ceará realizaram vistorias no local, após liberação do acesso pelos técnicos da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

Ainda de acordo com a SSPDS, equipes da Polícia Rodoviária Federal bloquearam a via.

As forças de segurança buscam os outros suspeitos envolvidos na explosão e trabalham na identificação dos criminosos que provocaram a queda da torre.

Em nota, o Ministério de Minas e Energia (MME) informa que recebeu do Operador Nacional de Sistema (ONS) o registro do desligamento automático da linha de transmissão que liga Fortaleza ao Porto de Pecém devido à queda da torre.

A perda da linha de transmissão, segundo o órgão, não causou interrupção no fornecimento de energia ou desligamento no abastecimento aos consumidores. "O registro informa também que, para preservar as condições de segurança elétrica da operação do sistema interligado, foi acionado o despacho momentâneo de geração térmica adicional", disse o MME em nota.

CARGA DE EXPLOSIVOS

A Polícia Civil também apreendeu neste sábado cinco toneladas de explosivos em um depósito no bairro de Jangurussu, em Fortaleza. Cinco pessoas foram presas e um adolescente foi apreendido na operação. Além dos explosivos, a polícia apreendeu drogas e munição.

Segundo a polícia, os explosivos apreendidos fazem parte de uma carga que havia sido roubada em dezembro do ano passado. O caso já vinha sendo investigado pela polícia.

Carga de explosivos apreendida em Fortaleza neste sábado (12)
Carga de explosivos apreendida em Fortaleza neste sábado (12) - Divulgação

Os explosivos apreendidos foram encaminhados para perícia. Um caminhão do Exército foi utilizado para transportar a carga. A polícia suspeita que parte destes explosivos tenham sido utilizados em ataques realizados neste início de ano.

A crise na segurança no Ceará começou na noite de 2 de janeiro. Ataques foram registrados no estado em decorrência de intenção do governo de não mais separar integrantes de facções nos presídios cearenses.

O governo informou que mais de 300 pessoas haviam sido presas por relação com os atentados no Ceará.

Na manhã deste sábado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) defendeu em uma rede social que ações como incendiar e explodir bens públicos ou privados sejam tipificados como terrorismo, citando um projeto de lei do senador Lasier Martins (PSD-RS).

HISTÓRICO

Segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança, o Ceará foi, em 2017, o terceiro estado do país com mais mortes violentas. A taxa foi de 59,1 mortos a cada 100 mil habitantes. À frente do estado estiveram apenas Rio Grande do Norte (68) e Acre (63,9).

Em 2018, segundo dados divulgados pelo estado, houve queda de 10,5% na taxa de homicídios entre janeiro e novembro de 2018, comparado com 2017.

Mesmo assim, no ano passado ocorreu a maior chacina da história do Ceará, com 14 mortos durante uma festa na periferia de Fortaleza, em janeiro, e a morte de seis reféns após ação policial para evitar assalto a dois bancos em Milagres, no interior, em dezembro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.