Prefeitura de SP prorroga até 31 de outubro o prazo para cadastro do lixo para empresários

Possibilidade de multa assustou comerciantes da cidade nesta segunda-feira

Guilherme Seto
São Paulo

A gestão Bruno Covas (PSDB) prorrogou para 31 de outubro o prazo para que os estabelecimentos comerciais com CNPJ possam se cadastrar no sistema de controle de lixo da cidade.

Inicialmente, a data final para o registro era esta segunda-feira (9), o que gerou correria entre os empresários na cidade, que reclamaram de falta de divulgação por parte da prefeitura e de dificuldades para acessar o site de cadastro ( www.ctre.com.br).

O registro não tem custo e deve ser feito tanto por pequenos como grandes geradores de lixo (acima de 200 litros por dia). O grande gerador que não se cadastrar terá que pagar multa de R$ 1.639,60.

Devem se cadastrar no sistema todas as empresas com CNPJ (microempresa, Mei, Eireli, entre outras) situadas no município, assim como todas as empresas com sede fora da capital, mas que prestam serviços no processo de transporte, manuseio, reciclagem ou destino final de resíduos sólidos gerados na cidade.

A Estação de Transbordo Ponte Pequena, que recebe parte do lixo reciclável da cidade de São Paulo
A Estação de Transbordo Ponte Pequena, que recebe parte do lixo reciclável da cidade de São Paulo - Bruno Santos/Folhapress

Ao todo, desde abril, foram realizados 76.229 cadastros no sistema. Desse total mais de 21 mil são equipamentos e cerca de 53.500 são de estabelecimentos comerciais —sendo 25 mil grandes geradores e 28.300 pequenos geradores de lixo. 

A ideia do cadastro, segundo a gestão Bruno Covas (PSDB), é melhorar o gerenciamento das emissões e destinos de resíduos sólidos gerados na cidade.

Realizando o cadastramento de forma virtual (antes era presencialmente) e anualmente (antes era a cada três anos), a prefeitura espera ter métricas de controle de geração de resíduos mais precisas, que possibilitarão a redução de gastos com a coleta pública de lixo, o aumento do controle das etapas do sistema e a minimização da proliferação de pragas urbanas (roedores, aves e insetos).

No site divulgado pela prefeitura para cadastro de empresários, os pequenos geradores de lixo têm de inserir dados como número do IPTU, CPNJ e endereço. Eles também devem informar a frequência de coleta, o número de colaboradores, o consumo mensal de energia, o local do empreendimento (prédio, casa, galpão, shopping), a área total e a área construída.

Os grandes geradores deverão também informar a massa mensal de resíduos sólidos produzidos pelo estabelecimento, a empresa que contratou para a realização dos serviços de coleta e a destinação final dos resíduos sólidos.

Para calcular o volume de lixo produzido por dia e descobrir se a empresa é uma grande geradora, a prefeitura sugere a utilização de sacos de lixo nos quais constam as suas capacidades (50, 100, 200 litros, etc).


O CADASTRO DE RESÍDUOS

O que é?
Cadastro de empresas municipais como pequenas ou grandes geradoras de lixo na capital

Qual é o prazo?
O período de cadastro iniciou em abril e pode ser feito até 31 de outubro

Quem precisa fazer?
Todos os estabelecimentos comerciais com CNPJ situados no município e também as empresas com sede fora da capital que prestam serviços relacionados à cadeia de resíduos sólidos em SP

Como fazer o cadastro?
No site www.ctre.com.br, do sistema do controle de lixo da cidade, tendo às mãos dados como CNPJ, número do IPTU e declaração de volume e massa mensal de resíduos sólidos produzidos, no caso de grandes geradores

O que são grandes geradores?
Empresas que produzem mais de 200 litros de lixo diariamente

Quanto custa?
Não há custos para se cadastrar. A taxa Amlurb, cobrada anualmente de grandes geradores (R$ 228) e de transportadores (R$ 117), continuará a ser cobrada.

Qual é a punição para quem não se cadastrar?
Multa de R$ 1.639,60 (somente para grandes geradores)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.