Descrição de chapéu Folha Verão

Escavado para retirar areia, Buraco Azul vira novo ponto turístico de Jeri

Novidade em região badalada no litoral cearense entrou na rota de guias e começa a ganhar estrutura

Jijoca de Jericoacoara (CE)

A lombada na estrada de terra não serve apenas para evitar que os apressados coloquem em risco a vida de alguém: é também referência para se chegar ao “buraco azul” da cidade cearense de Acaraú, o novo ponto turístico da região de Jericoacoara, praia a 300 km de Fortaleza.

Avistando o quebra-molas, é só virar à direita que em poucos metros aparece, ao lado esquerdo, o agora famoso Buraco Azul, depressão que foi coberta de água e mais lembra um lago. 

Se há alguns meses se via apenas cajueiros ao redor do buraco de água cristalina, agora uma estrutura de palha e madeira serve como apoio aos turistas que chegam aos montes de bugues, caminhonetes quatro por quatro ou mesmo carros de passeio, quase sempre acompanhados por guias. 

Piscina do Buraco Azul, novo ponto turístico do município de Acaraú, vizinho a Jijoca de Jericoacoara
Piscina do Buraco Azul, novo ponto turístico do município de Acaraú, vizinho a Jijoca de Jericoacoara - Adriano Vizoni/Folhapress

O Buraco Azul entrou no roteiro dos passeios oferecidos por agências locais junto com aquelas mais conhecidas da região, como a Pedra Furada, Árvore da Preguiça e as lagoas Azul e do Paraíso. 

“Impressionante a cor da água. Com certeza vão achar que tem algum filtro quando eu colocar no Instagram”, disse o mineiro Wellington Pereira, 34, auxiliar administrativo que estava visitando a região.

Hospedado em Jericoacoara, ele alugou por R$ 300 um bugue com outras três pessoas para fazer o passeio.

Na verdade são dois buracos, ambos em cidades vizinhas a Jijoca de Jericoacoara, município onde está a vila da famosa praia e onde a maioria das pessoas se hospeda quando visita a região. 

O de Acaraú é o que tem melhor estrutura, já com um restaurante instalado. Há também o de Caiçara, distrito da cidade de Cruz.

Os dois nasceram da mesma maneira: buracos foram cavados para retirada de areia para obras na região. 

Parte foi usada, por exemplo, para o asfaltamento em 2017 da CE-182, que liga a CE-85, principal estrada entre Fortaleza e Jericoacoara, até a praia do Preá, vizinha a Jeri. 

A obra facilitou bastante o acesso de carros de passeio à vila de Jericoacoara e será um dos pontos discutidos no plano de privatização do Parque Nacional proposto pelo governo federal, já que se passa pelo meio do parque para chegar à vila.

Como o período chuvoso no Ceará em 2019, entre fevereiro e maio, foi o melhor dos últimos sete anos o buraco com terra retirada para obras encheu e a cor da água, bem cristalina, passou a chamar a atenção de quem passava por perto, principalmente turistas. Alguns bugueiros usavam a estrada para acesso a outros pontos turísticos e muitas pessoas pediam para parar e tirar fotos.

Piscina do Buraco Azul, novo ponto turístico do município de Acaraú, vizinho a Jijoca de Jericoacoara
Piscina do Buraco Azul, novo ponto turístico do município de Acaraú, vizinho a Jijoca de Jericoacoara - Adriano Vizoni/Folhapress

“Meu pai decidiu então cercar o local, até com medo de que crianças entrassem na água e se afogassem, estava bem fundo. Mas não teve jeito, as pessoas cortavam a cerca e invadiam. Então decidimos abrir ao público”, disse o dentista Edinilton Lima Araújo, 34, filho do dono do terreno onde está o Buraco Azul. Araújo é também presidente da Câmara de Vereadores de Acaraú, cidade de pouco mais de 60 mil habitantes.

No terreno, que tem cajueiros em que se aproveita principalmente a castanha, foi montado um restaurante que serve almoço, petiscos e bebidas. Por enquanto não há cobrança de entrada, mas os Araújo estão estudando essa possibilidade.

“Seria algo simbólico, como R$ 5. Muitas pessoas vêm aqui, acaba sujando, e fazemos sempre a limpeza. Mas esse valor poderia ser usado no consumo também”, explicou Araújo. 

Eles solicitaram a um laboratório de Fortaleza a análise da água, que foi considerada própria para banho.

“A cor da água nos mostra que tem poucos nutrientes, portanto a chance de ter qualquer contaminação é mínima realmente”, explicou Antônio Jeovah Meireles, 57, professor do Instituto de Geografia da Universidade Federal do Ceará.

Segundo Meireles a água que apareceu nos buracos veio de lençóis freáticos, portanto tem baixo índice de nutrientes e é o que dá a coloração cristalina que chama a atenção das pessoas. A chuva ajudou a encher mantendo a cor, já que não há conexões com rios que poderiam deixá-la mais barrenta. 

Ele alerta que, a partir do momento que a área passa a ser frequentada por muita gente e se montam estruturas como restaurantes, com banheiros, é possível que com o tempo essa água passe a receber nutrientes e a coloração escureça.

Por enquanto a única preocupação por ali é com pessoas que resolvem saltar para tirar fotos. Apesar de ter uma profundidade que permite o salto, uma placa foi colocada na entrada do terreno pedindo que os turistas evitem pular do alto dos barrancos para evitar acidentes. 

A coleção de piruetas de vários estilos que aparece nas redes sociais mostra que o pedido não tem sido respeitado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.