Descrição de chapéu Coronavírus

Covas ameaça demitir secretário caso ônibus sigam operando com passageiros em pé

Prefeito disse que, na manhã desta segunda (8), 5% da frota descumpriu determinação

São Paulo

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), deu um ultimato para que o transporte público municipal funcione corretamente durante a quarentena. Foi determinado que os ônibus devem circular apenas com passageiros sentados, mas nesta segunda-feira (8) já houve registro de lotações na capital.

“O secretário [de transportes, Edson Caram] tem até sexta (12) para conseguir fazer isso [que os ônibus não tenham pessoas em pé]. Se até sexta ele não conseguir fazer isso, a partir de segunda é outro secretário que vai tentar fazer”, disse Covas.

Segundo o prefeito, na manhã desta segunda-feira, 5% dos ônibus tiveram pessoas em pé. A prefeitura também ampliou a frota circulante a partir do início desta semana.

Desde a última sexta-feira (5), foram permitidos para voltar a funcionar na cidade de São Paulo escritórios e concessionárias automotivas, ainda com restrições, como parte do afrouxamento gradual da quarentena permitido pelo governo do estado.

Covas ainda disse que não prevê a abertura de novos equipamentos municipais durante o estágio atual da reabertura, apenas do Descomplica do Campo Limpo, que trabalha com capacidade de até 20% de atendimento, rodízio de funcionários, e com mães que tenham filhos em idade escolar e pessoas do grupo de risco trabalhando sempre de suas casas.

O prefeito disse que, durante toda a quarentena, 120 equipamentos municipais seguiram funcionando, a maioria ligado a assistência social e que somente na próxima fase da quarentena, a fase três, há previsão de que outras estruturas voltem a funcionar.

A maioria das cidades da Grande São Paulo seguem na fase vermelha da quarentena estipulada pelo estado, ou seja, sem permissão para afrouxar as regras de isolamento social, enquanto a capital está na fase laranja, a primeira da reabertura da economia.

Covas também negou que haja no horizonte do município qualquer intenção de fechar a cidade para a entrada de pessoas vindas de outras regiões.

“Qualquer ação que possa beirar a xenofobia e o desrespeito a pessoas que sejam de fora da cidade de São Paulo, a gente tem que tomar muito cuidado”, afirmou o prefeito.

Segundo ele, as limitações impostas para os setores da economia que pretendam reabrir (por exemplo, uso de máscaras e restrição na capacidade de atendimento presencial) já garantem a segurança para a capital enquanto esta estiver em fase diferente dos municípios vizinhos.

O prefeito anunciou ainda que será publicado nesta terça-feira (9) um decreto com as diretrizes mínimas gerais para a reabertura de estabelecimentos.

Passageiro em pé na porta do ônibus na Parada Rio Bonito
Nesta segunda (8), ônibus circularam em São Paulo com passageiros em pé, mesmo com determinação da prefeitura para que isso não aconteça - Rivaldo Gomes/Folhapress
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.