Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/10/2005 - 08h53

França sedia festival de filmes feitos com celulares

RORY MULHOLLAND
da BBC, em Paris

O primeiro festival europeu de filmes feitos com telefones celulares de terceira geração começa nesta sexta-feira, em Paris.

Com dezenas de participantes, variando de curtas de 30 segundos até um longa filmado em Roma, o Festival de Cinema de Bolso pretende mostrar a forma de arte emergente e perguntar que efeito ela pode ter sobre o cinema tradicional.

"Já há grande criatividade na produção de filmes com celulares", disse a diretora do festival, Laurence Herszberg.

"Não acredito que a gente vá ver Martin Scorcese fazendo filmes em telefones, é uma nova arte e vai atrair seus próprios criadores."

O festival é realizado em um momento em que as empresas de telefone celular em muitos países estão estimulando seus clientes a ter telefones de terceira geração, na esperança de recuperar parte dos investimentos feitos no setor.

Os usuários de telefone celular, muitos dos quais já estão bastante familiarizados com o processo de baixar da internet músicas, jogos e gráficos para uso em celulares, já podem em muitos países assistir nos aparelhos os chamados "mobisodes" --vídeos que tocam apenas nas telas de celulares.

Nos Estados Unidos e no Reino Unido, por exemplo, episódios de um minuto de duração do seriado de TV 24 horas foram disponibilizados na última temporada.

Já houve premiação para filmes produzidos em celulares em eventos como o festival de cinema Sundance, nos Estados Unidos, mas o festival de três dias que começa no Forum des Images, em Paris, é o primeiro deste tipo em solo europeu.

Em setembro, foi realizado um festival de filmes feitos em celulares em Taiwan, para diretores da Ásia.

Telefones

Há vários meses, o Forum des Images entregou 100 telefones de terceira geração para cineastas, escritores, músicos e outros profissionais criativos e disse a eles que saíssem por aí e experimentassem.

Eles voltaram com filmes que vão desde paródias ao gênero noir até diários pessoais e um filme de 90 minutos, "Jours où Je N'existe Pas" (Dias em que Não Existo, em tradução livre).

Catorze desses filmes concorrem à premiação em dinheiro e celulares, que serão entregues no domingo, último dia do festival, que é patrocinado pela Nokia e pela operadora de celulares francesa SFR.

Os filmes serão exibidos em telas de cinema e telas de celulares, em instalações no saguão do Forum des Images.

Os espectadores que quiserem testar seu talento na nova arte poderão fazer seus próprios curtas em um estúdio especial e ilha de edição instalados no local, onde atores e técnicos estarão à disposição para ajudar.

O festival também vai contar com várias mesas redondas e debates sobre temas como o significado da nova forma de arte e suas implicações sociológicas.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre celulares de terceira geração
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página