Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
19/07/2005 - 12h30

Márcio Fortes circula pelo segundo escalão desde gestão Collor

Publicidade

PATRÍCIA ZIMMERMANN
da Folha Online, em Brasília

Doutor em direito e diplomata, o futuro ministro das Cidades, Márcio Fortes de Almeida, 63, circula pelo segundo escalão do governo desde a gestão do ex-presidente Fernando Collor (1990-1992), quando atuou como secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia na gestão de Pratini de Morais.

Já no governo Itamar Franco (1992-1994), ele assumiu a pasta interinamente e presidiu o conselho de administração de várias estatais do setor.

Na gestão de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), Fortes foi secretário-executivo do Ministério da Agricultura, e também presidiu conselhos de administração da Embrapa e da Conab.

Desde o início do governo Lula, ele assumiu a Secretaria Executiva do Ministério do Desenvolvimento, comandado pelo ministro Luiz Fernando Furlan.

Fora do governo, Márcio Forte foi secretário-geral e vice-presidente executivo da Associação de Comércio Exterior, foi pesquisador da Funcex (Fundação centro de Estudos do Comércio Exterior) e participou de várias atividades ligadas ao comércio exterior como representante de entidades como a Confederação Nacional da Indústria, Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Federação de Comércio do Estado de São Paulo, entre outras.

Márcio Fortes chega ao Ministério das Cidades como um técnico indicado pelo PP do presidente da Câmara Severino Cavalcanti (PE). Forte é filiado ao partido desde 2001. Ele conta com a simpatia da bancada do agronegócio e é reconhecido principalmente pelo seu trabalho ao lado de Pratini no Ministério da Agricultura.

Leia mais
  • Lula demite Olívio Dutra e vai nomear Márcio Fortes para Cidades

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre Márcio Fortes
  • Leia o que já foi publicado sobre a reforma ministerial
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página