Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
05/07/2006 - 18h49

Patrimônio de Lula dobra em quatro anos; bens de Alckmin também crescem

Publicidade

FELIPE RECONDO
da Folha Online, em Brasília

Os candidatos que disputarão a Presidência da República em outubro declararam ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) o seu patrimônio e informaram o total dos gastos estimado para a campanha eleitoral.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT à reeleição, apresenta um patrimônio de R$ 839.033,52. Em 2002, tinha R$ 422.949,32.

Os valores são nominais, não levam em conta a inflação no período, que ficou em 38,7% no IPCA, e são compatíveis com a renda apurada pelo presidente. Como presidente da República, Lula ganha um salário de R$ 8.885,48. O presidente tem ainda uma aposentadoria de R$ 4.294 mensais.

Na declaração, consta que Lula manteve seus apartamentos em São Bernardo do Campo, além de duas poupanças, um terreno, também em São Bernardo, uma aplicação financeira e um carro. De 2002 para cá, ele adquiriu aplicações em fundos de ações da Petrobras, Vale do Rio Doce, Banco do Brasil e Bradesco. As maiores aplicações do presidente são em dois fundos --BB e Bradesco. No Banco do Brasil, ele tem R$ 156 mil e no Bradesco, R$ 111 mil. O petista ainda está comprando um apartamento no Guarujá --já pagou R$ 47.695.

O PT estipulou um limite de R$ 89 milhões para os gastos com a campanha do presidente Lula à reeleição nos dois turnos das eleições de outubro. Em 2002, o gasto da campanha presidencial foi de R$ 39,3 milhões (referentes a despesas do comitê financeiro nacional e dos gastos do candidato), e o teto declarado foi de R$ 56 milhões.

Alckmin

O candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin, apresentou em 2002 um patrimônio de R$ 554.458,48. Agora, declarou ter R$ 691.698,99.

Alckmin praticamente manteve seu patrimônio, mas aumentou em R$ 49 mil o valor de um apartamento já declarado em 2002. Ele tem ainda um fundo de renda fixa no Banespa, no valor de R$ 93,8 mil.

Em 2002, o tucano tinha seis cabeças de gado, no valor de R$ 1.989. Agora, adquiriu mais 14 e ficou com R$ 10 mil. Como governador de São Paulo, Alckmin tinha direito a vencimentos de R$ 12,720 mil.

A chapa PSDB/PFL definiu hoje que os gastos na campanha presidencial de Geraldo Alckmin (PSDB) podem chegar a R$ 85 milhões.

Outros candidatos

O candidato do PDT à Presidência, Cristovam Buarque (DF), informou que tem um patrimônio de R$ 769.198,70 e fixou em R$ 20 milhões o limite máximo de gastos para sua campanha.

A senadora Heloísa Helena (PSOL-AL) apresentou em 2002 R$ 59.996,75 e, agora, seu patrimônio subiu para R$ 89.750,00. Ela tem um sexto de um apartamento que recebeu de herança em Alagoas.

Heloísa terá R$ 5 milhões de limite de gastos para a campanha.

O ex-deputado federal Luciano Bivar, candidato à Presidência pelo PSL, é o mais rico, com R$ 8.775.519,14. Rui Pimenta, do PCO, tem R$ 33 mil e José Maria Eymael (PSDC), R$ 985.832,95.

Os partidos têm até as 19h de hoje para fazer o registro das candidaturas.

Leia mais
  • PT prevê gastos de até R$ 89 milhões para campanha de Lula nos dois turnos
  • Alckmin define que irá gastar até R$ 85 milhões na campanha

    Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre as eleições 2006
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página