Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/07/2006 - 12h55

CPI dos Sanguessugas ouve empresários acusados de participar de máfia

Publicidade

da Folha Online

A CPI dos Sanguessugas ouve nesta manhã, às portas fechadas, o empresário Ronildo Medeiros, preso sob acusação de superfaturamento no esquema da máfia das ambulâncias.

Os integrantes da comissão federal estão em Cuiabá e realizam as audiências na Assembléia Legislativa de Mato Grosso, onde ouviram ontem o depoimento de Maria da Penha Lino, apontada como o braço do esquema no Ministério da Saúde.

Medeiros faz parte da empresa Frontal, de equipamentos, que junto com a Planam (responsável pelo fornecimento das ambulâncias), fazia parte do esquema de venda superfaturada desses veículos para prefeituras, por meio da liberação de emendas parlamentares, segundo o inquérito do Ministério Público Federal.

O esquema de compra superfaturada de ambulâncias resultou na prisão de 50 pessoas, entre ex-deputados, assessores parlamentares e servidores públicos. Segundo o Ministério Público Federal, o esquema lesou os cofres públicos em mais de R$ 110 milhões entre 2001 e 2005.

Após o depoimento de Medeiros, os integrantes da CPI pretendem ouvir o depoimento de Darci Vedoin, sócio da Planam.

Especial
  • Dê sua opinião sobre a manutenção do sigilo dos parlamentares investigados
  • Leia a cobertura especial sobre a CPI dos Sanguessugas
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página