Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/07/2006 - 20h00

CPI dos Sanguessugas recebe lista com nome de mais 42 parlamentares

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

A CPI dos Sanguessugas recebeu hoje da Procuradoria Geral da República mais 42 nomes de parlamentares supostamente envolvidos com a máfia das ambulâncias. A comissão também teve acesso a cópia do depoimento de Luiz Antonio Trevisan Vedoin, sócio da Planam com o pai, o empresário Darci Vedoin. O documento foi encaminhado pela Justiça de Mato Grosso.

O presidente da CPI, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), informou que recebeu da procuradoria apenas os nomes dos parlamentares investigados. A comissão só deverá ter acesso aos autos depois que o relator do caso no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Gilmar Mendes, retornar do recesso e autorizar o repasse dos documentos.

Os nomes encaminhados hoje se somam aos outros 15 que a CPI já investiga, elevando para 57 o número de investigados. Biscaia disse que, a partir de segunda-feira, irá notificar os 42 parlamentares.

Dos 15 que já foram acionados pela CPI, nove apresentaram suas defesas por escrito e seis pediram prorrogação do prazo. Biscaia concedeu mais cinco dias úteis para que se manifestem.
Além do depoimento de Luiz Antonio Trevisan Vedoin, que teria revelado o esquema em detalhes, a Justiça de Mato Grosso enviou para a CPI seis pastas com nomes de parlamentares e documentos que comprovariam a participação deles no esquema.

Os deputados receberiam dinheiro para incluir emendas no Orçamento da União destinadas à compra de ambulâncias.

A Folha Online apurou que as propinas não somavam altas quantias. Há casos em que deputados receberam R$ 700 da Planam. A empresa articulava todo o esquema.

Na próxima semana, a CPI definirá mais sete sub-relatores para agilizar os trabalhos. A proposta dos integrantes é apresentar um relatório parcial com os nomes dos parlamentares envolvidos na primeira semana de agosto. No final dos trabalhos, a comissão apresentaria apenas propostas para evitar que novas fraudes ocorram.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página