Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/07/2006 - 10h11

Sanguessugas utilizaram emenda de relator da CPI

Publicidade

ADRIANO CEOLIN
da Folha de S.Paulo

Uma emenda ao Orçamento da União apresentada pelo relator da CPI dos Sanguessugas, senador Amir Lando (PMDB-RO), foi usada no esquema de venda de ambulâncias superfaturadas a prefeituras do país.

Três veículos foram adquiridos por cidades de Rondônia devido à emenda, mas o empresário Darci Vedoin --apontado como líder da quadrilha-- disse à CPI que Lando não participava do esquema de corrupção.

Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público, alguns parlamentares tiveram, à revelia, emendas monitoradas ou usadas por membros do esquema. A de Lando, de R$ 150 mil, foi apresentada em 2003, destinada a ações de saúde em Presidente Médici (RO). A emenda só foi executada em 2004, quando Lando era ministro da Previdência.

A informação de que uma emenda do relator da CPI foi usada pela quadrilha surgiu anteontem no depoimento de Darci Vedoin --dono da Planam, empresa que chefiaria o esquema-- à comissão.

A Folha teve acesso ao trecho da gravação do depoimento em que o empresário é questionado sobre emendas. "Muito foi feito de Rondônia, inclusive uma emenda sua, senador", disse Vedoin, dirigindo-se a Lando.

Sem demonstrar surpresa, o relator continuou os questionamentos. "Tenho uma emenda, que foi, casualmente, inclusive, tomada de preços, e a Planam ganhou. Mas o sr. fale a verdade se eu...".

Vedoin interrompeu: "Quando digo que é sua, não é entre aspas", afirmou. Em trecho anterior, o empresário afirmou: 'Pelo amor de Deus, estou te conhecendo agora..."

À Folha Lando negou ter apresentado emenda para compra de ambulância "e sim para ações de saúde". "Envolveram meu nome por disputa política." O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) disse ter conhecimento da emenda. "Ao assumir a relatoria, ele [Lando] nos contou. Por isso, tem nosso apoio e confiança."

O presidente da CPI, Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), recebeu ontem a lista de 42 parlamentares contra quem o Ministério Público solicitou abertura de inquérito. Ele espera divulgá-los na próxima semana, com o de 15 parlamentares contra os quais já há inquéritos abertos.

Especial
  • Dê sua opinião sobre a manutenção do sigilo dos parlamentares investigados
  • Leia a cobertura especial sobre a CPI dos Sanguessugas
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página