Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
07/08/2006 - 15h47

Gabeira envolve mais dois ex-ministros de Lula com esquema sanguessuga

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), sub-relator da CPI dos Sanguessugas, levantou suspeitas hoje sobre a atuação do PSB à frente do Ministério da Ciência e Tecnologia. Segundo Gabeira, emendas foram liberadas para a compra de ônibus de Inclusão Digital que eram vendidos a preços superfaturados para prefeituras num esquema semelhante ao das ambulâncias.

Gabeira defendeu que a CPI ouça os ex-ministros Roberto Amaral e Eduardo Campos, que responderam pela pasta de 2003 a 2005. Roberto Amaral integra o conselho político da campanha à reeleição do presidente Lula.

A CPI também deve votar requerimentos que pedem a convocação dos ex-ministros da Saúde Saraiva Felipe, Humberto Costa e José Serra. A CPI suspeita da participação deles no esquema da máfia das ambulâncias.

O deputado Fernando Gabeira também quer ouvir Rodrigo Rollemberg, responsável pela área de Inclusão Digital. Rollemberg, candidato a deputado federal pelo PSB, seria o responsável por intermediar a liberação das emendas. Não há denúncia contra os três, mas Gabeira quer saber se eles tinham conhecimento do esquema.

O deputado fotografou na empresa Viação Elite, no Rio de Janeiro, ônibus do programa de Inclusão Digital que, segundo ele, estariam escondidos. Todos têm o logotipo do Ministério da Ciência e Tecnologia e o emblema "Brasil, um País de Todos", do governo federal.

Gabeira citou ainda os nomes do líder do PSB na Câmara, deputado Alexandre Cardoso (RJ), o ex-líder deputado Renato Casagrande (ES) e o deputados Paulo Baltazar (PSB-RJ) como parlamentares do partido que apresentaram emendas ao Orçamento da União para a compra de ônibus. Paulo Baltazar teria liberado emendas no valor de R$ 4,2 milhões.

Os veículos eram vendidos a preços superfaturados, chegando a custar de R$ 200 mil a R$ 300 mil. "O PSB transformou o Ministério em coisa de compadres", acusou Gabeira.

Leia mais
  • Veja lista dos 57 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas
  • Veja nova lista de 33 parlamentares suspeitos de integrar a máfia

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Leia a cobertura completa sobre a crise em Brasília
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página