Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
08/08/2006 - 18h08

Caciques do PSDB se disseram surpresos com entrevista de Alckmin

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

Caciques do PSDB disseram hoje que ficaram surpresos com a entrevista do candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, ao "Jornal Nacional" ontem. A avaliação é que as perguntas se restringiram às denúncias, pegando o candidato desprevenido.

O presidente nacional do partido, senador Tasso Jereissati (CE), disse que quer acompanhar a entrevista com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para saber se ele também será questionado sobre denúncias que atingiram sua gestão. "Fiquei surpreso. A entrevista foi muito dura em cima dele. Os temas tiveram pouco a ver com a candidatura à Presidência da República", disse Tasso.

Na entrevista, Alckmin foi questionado sobre a crise na segurança pública de São Paulo; o escândalo do mensalão, que atingiu o senador Eduardo Azeredo (MG), na época presidente nacional do PSDB; o engavetamento de CPIs na Assembléia Legislativa de São Paulo destinadas a investigar a gestão do tucano; denúncias sobre a utilização de verbas da Nossa Caixa; o aumento para os aposentados no governo FHC e os resultados de políticas educacionais em São Paulo.

O PSDB teria a informação de que o presidente Lula teria condicionado a entrevista ao "JN" a apenas uma pergunta sobre denúncia. O presidente também deverá conceder a entrevista de Brasília e não no estúdio do jornal, como os demais candidatos.

Especial
  • Leia o que já foi publicado sobre eleições de 2006
  • Enquete: o presidente Lula da Silva deveria ou não participar dos debates entre candidatos?
  • Enquete: a reeleição para presidentes, governadores e prefeitos deve acabar
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página