Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
11/08/2006 - 20h24

Lula diz que foi o único a tirar o lixo de debaixo do tapete

Publicidade

CLARICE SPITZ
da Folha Online, no Rio

Nesta sexta-feira (11), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou seu comício em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, para criticar adversários políticos e se defender das denúncias de corrupção.

Lula afirmou que seu governo foi o único a "tirar o lixo debaixo do tapete" e convocou seus aliados a não ter medo de discutir questões éticas.

"Até quando os adversários falarem em corrupção, não tenham medo, porque quem está tirando o lixo do tapete somos nós. 80% de tudo que foi desvendado de corrupção começou em 80, 85, 87, 90 e 92. Até o processo dos sanguessugas começou lá atrás. Nós estamos levantando o tapete. Só vamos ser um país de verdade se tivermos a coragem de eliminar esse tumor da corrupção, doa a quem doer, seja companheiro nosso ou não."

Lula disse a aliados do PSB, PC do B e PRB que não fujam do debate político. Depois de dizer isso, abraçou Roberto Amaral, presidente do PSB acusado pelo deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) de ter usado o Ministério da Ciência e Tecnologia para liberar emendas destinadas à compra superfaturada de ônibus para o programa de Inclusão Digital, num esquema semelhante ao das ambulâncias no Ministério da Saúde

No mesmo discurso, Lula defendeu a política macroeconômica e o programa Bolsa Família e novamente criticou os adversários. "Eles não têm como debater conosco a economia, o social, não têm como debater nada. E agora vão vir com essa historinha de ética, e nenhum de nós tem que ter medo."

O candidato lembrou seu passado de sindicalista e alfinetou os adversários mais uma vez. "É preciso que as pessoas saibam que a gente não pode fazer em quatro anos o que eles [os adversários] não fizeram em 500."
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página