Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
17/08/2006 - 13h00

Renan evita rebater críticas de Gabeira sobre investigações de sanguessugas

Publicidade

ANDREZA MATAIS
da Folha Online, em Brasília

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), evitou nesta quinta-feira rebater as críticas do deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que o acusou de integrar uma quadrilha no PMDB que atua para abafar as investigações de parlamentares envolvidos no esquema dos sanguessugas.

"Não vou rebater isso. Tenho cumprido meu papel com isenção e equilíbrio", amenizou.

Segundo Renan, os processos contra os três senadores acusados de envolvimento com a máfia das ambulâncias não vão terminar em pizza.

A CPI dos Sanguessugas acusou os senadores Serys Slhessarenko (PT-MT), Ney Suassuna (PMDB-PB) e Magno Malta (PL-ES) de terem recebido propina em troca de apresentar emendas ao Orçamento para a compra de ambulâncias.

"O Conselho foi eleito para cumprir o seu papel com responsabilidade e isenção e acho que será feito", disse.

Homenagem

O presidente do Senado fez os comentários ao chegar no STF (Supremo Tribunal Federal) para uma homenagem do Judiciário americano a presidente do Supremo, ministra Ellen Gracie.

Ela recebeu uma placa do Judiciário dos Estados Unidos por seus serviços prestados no Brasil. A ministra surpreendeu os presentes ao aparecer na cerimônia com os cabelos soltos, que substituíram o tradicional coque que caracteriza a ministra desde que assumiu o comando do STF.

Ellen Gracie se emocionou ao receber a homenagem lembrando do seu bisavô, que fugiu os Estados Unidos por causa de uma guerra e se refugiou no Brasil.

Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: os partidos devem expulsar os parlamentares citados na lista da CPI dos Sanguessugas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página