Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
21/08/2006 - 12h12

Conselho do Senado decide até amanhã processos contra sanguessugas

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), promete decidir até amanhã se vai instaurar processos de cassação contra os três senadores acusados de envolvimento na máfia dos sanguessugas: Ney Suassuna (PMDB-PB), Serys Slhessarenko (PT-MT) e Magno Malta (PL-ES). O prazo para a entrega de defesa dos senadores ao Conselho de Ética do Senado termina hoje.

Os senadores Magno Malta e Serys Slhessarenko já encaminharam defesa ao Conselho. O senador João Alberto promete esperar até as 18h de hoje pela apresentação da defesa do senador Ney Suassuna.

João Alberto convocou reunião do Conselho de Ética para quarta-feira, às 10h, quando vai anunciar oficialmente aos membros do órgão a tramitação dos processos de cassação - se ele decidir pela instauração do três.

João Alberto disse que já fez várias consultas a membros do conselho para atuarem como relatores dos processos. O senador não revela, no entanto, quem pretende nomear para estudar cada um dos casos. João Alberto disse apenas que vai escolher parlamentares de partidos diferentes dos três senadores acusados.

Além da perda do mandato, o Conselho de Ética do Senado prevê outras três medidas disciplinares que podem ser aplicadas a senadores acusados de quebra do decoro parlamentar: advertência, censura e perda temporária do mandato.

No relatório parcial aprovado pela CPI dos Sanguessugas, os três senadores foram citados por suposto envolvimento no esquema de fraudes que usou recursos federais para a compra de ambulâncias superfaturadas.

Leia mais
  • CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares; veja lista
  • CPI dos Sanguessugas absolve 18 parlamentares

    Especial
  • Leia a cobertura completa sobre a máfia das ambulâncias
  • Enquete: os depoimentos dos empresários sanguessugas devem ser usados como provas?
  •  

    Publicidade

    Publicidade

    Publicidade


     

    Voltar ao topo da página